|
A+ / A-

Nova heroína de BD é uma congressista norte-americana

26 fev, 2019 - 09:01 • Redação

A banda desenhada assinala a eleição do grupo mais diverso de congressistas da história dos Estados Unidos e “não poupa ninguém nesta sátira que tem como alvo Washington”.

A+ / A-

Alexandria Ocasio-Cortez, recém-eleita para o Congresso dos Estados Unidos, é a protagonista de um novo livro de banda desenhada (BD), intitulado “Alexandria Ocasio-Cortez and the Freshman Force”.

A banda desenhada, da editora Devil’s Due, chega às bancas em maio e a edição comemorativa vai ter duas capas diferentes.

Na primeira capa, a congressista aparece com um telemóvel na mão e a pisar um elefante vermelho, vestido com um fato, numa alusão ao partido republicano. Atrás, um burro azul - cor dos democratas - assiste à cena.

Na outra capa, Alexandria está vestida com as roupas da Mulher-Maravilha, a super-heroína americana da Warner Bros.

Segundo a editora, esta banda desenhada assinala a eleição do grupo mais diverso de congressistas da história dos EUA e “não poupa ninguém nesta sátira que tem como alvo Washington”.

Parte das receitas da venda reverte a favor de duas associações de caridade.

Com 29 anos, Alexandria Ocasio-Cortez é a mulher mais nova de sempre eleita para o Congresso norte-americano e tornou-se na mais recente vedeta da Câmara dos Representantes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • O homem em extinção
    26 fev, 2019 Planeta Terra 16:03
    Hoje criam super-mulheres, amanhã será vez dos super-transsexuais. Porém diabos já há muitos.