|
A+ / A-

Um dia por região. Enfermeiros voltam à greve

04 jan, 2019 - 13:01 • Redação

Não correu bem o encontro entre a comissão negociadora sindical dos enfermeiros e o Governo.

A+ / A-

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses vai marcar uma greve para este mês, entre os dias 22 e 25 – um dia por região.

O anúncio foi feito esta sexta-feira pelo sindicalista José Carlos Martins, à saída de um encontro entre a comissão negociadora dos enfermeiros e o Ministério da Saúde.

“O Governo não evolui de posição em relação à valorização económica de toda a grelha salarial e, por outro lado, também não admite a possibilidade de termos condições de aposentação mais cedo”, indica o presidente daquele sindicato.

José Carlos Martins explica que há três matérias “centrais para continuar a negociação”: a “justa contagem dos pontos para efeitos de congelamento de escalões, o pagamento de suplemento remuneratório aos enfermeiros especialistas, os mesmos critérios para os enfermeiros em CIT [contrato individual de trabalho] e a admissão de 1.500 enfermeiros em 2019”.

Sem avanço nestes temas, “o SEP vai decretar no continente uma greve de 22 a 25 de janeiro, um dia por região, porque são questões prévias e que têm de ser tratadas previamente à conclusão do processo negocial da carreira”, reforça.

A próxima reunião dos sindicatos dos enfermeiros com a tutela é no dia 11 de janeiro.

Na quarta-feira, a Associação Sindical Portuguesa de Enfermeiros (ASPE) anunciou que vai desconvocar o primeiro de dois períodos de greve que tinham início este mês, de modo a "criar espaço para as negociações", mas mantendo o segundo pré-aviso de uma paralisação prevista para entre 14 de janeiro e 28 de fevereiro.

O Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (Sindepor), que vai estar presente na mesma reunião, também já desconvocou a greve que tinha agendada para entre os dias 8 e 11 de janeiro.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.