Tempo
|
A+ / A-

"Dia negro para a Europa". Orbán força Universidade Centro-Europeia a sair da Hungria

03 dez, 2018 - 15:47 • Tiago Palma com Reuters

Em novembro, o Governo húngaro tinha anunciado que a escola fundada em 1991 pelo milionário George Soros não cumpria os requisitos para permanecer em Budapeste.

A+ / A-

A Universidade Centro-Europeia, fundada pelo milionário e filantropo húngaro-americano George Soros, vai transferir as suas atividades de Budapeste, na Hungria, para Viena, na Áustria.

A decisão de mudar a sede da UCE para Viena foi anunciada esta segunda-feira, após um prolongado braço-de-ferro entre o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, e Soros.

"A UCE é forçada a abandonar Budapeste", esclareceu o estabelecimento de ensino, oficializando uma opção que começou a ganhar contornos reais em setembro.

Em novembro último, o Governo húngaro tinha anunciado que a universidade fundada em 1991 por Soros não cumpria os requisitos para permanecer em Budapeste, depois de uma série de ataques ao estabelecimento de ensino e ao seu fundador.

"Para continuar a emitir diplomas norte-americanos [na Hungria], deve contar com atividades de ensino superior nos Estados Unidos, o que não vemos demonstrado", declarou na altura, em Bruxelas, o ministro húngaro dos Negócios Estrangeiros, Péter Szijjártó.

Os diferendos entre o Governo de Orbán e George Soros agudizaram-se nos últimos anos, levando a que o empresário de origem húngara com dupla nacionalidade norte-americana desistisse de regressar ao seu país-natal.

Soros já tinha avisado em setembro que, perante a "posição intransigente" do Governo da Hungria, ponderava transferir a universidade para Viena, onde prosseguiria os seus programas de Mestrado e de Doutoramento.

O empresário já havia abordado esta possibilidade com o chanceler da Áustria, Sebastian Kurz, e com o ministro austríaco da Ciência, Heinz Fassmann, que expressou satisfação pelo que considerou ser um "enriquecimento da vida universitária" em Viena.

Num comunicado citado pela Reuters, o presidente e reitor da UCE, Michael Ignatieff, condenou o Governo Orbán pela "expulsão arbitrária" da instituição de ensino depois de quase 30 anos de operações em Budapeste.

"A UCE foi expulsa. Isto não tem precedentes. Uma instituição norte-americana [a Fundação Open Society, também de George Soros] foi empurrada para fora de um país que é aliado da NATO. Uma instituição europeia foi expulsa por um Estado-membro da União Europeia. A expulsão arbitrária de uma reputada universidade é uma violação flagrante das liberdades académicas. Este é um dia negro para a Europa e um dia negro para a Hungria."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Filipe
    03 dez, 2018 Vila Real 19:26
    Orbán e o seu partido são membros do Partido Popular Europeu, juntamente com o PSD e o CDS. Até quando?

Destaques V+