A+ / A-

Encontrado quinto corpo em Borba. Operação de resgate "complexa" terminou

01 dez, 2018 - 11:11

A vítima mortal tem 85 anos e encontrava-se na segunda viatura localizada. Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil anuncia: "Chegámos ao fim de uma operação de proteção civil extremamente complexa".
A+ / A-

Foi retirado mais um corpo da pedreira de Borba, confirmou à Renascença fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora. A vítima encontrava-se no interior de uma das duas viaturas que estavam submersas no plano de água mais profundo da pedreira.

As operações de resgate começaram este sábado de manhã às 8h00, com vista a retirar a segunda viatura que caiu para dentro de uma pedreira em Borba no deslizamento de terra e colapso da estrada 255.

O veículo foi localizado na sexta-feira e o corpo foi localizado esta manhã. A vítima é um homem de 85 anos, natural do Alandroal.

Não se espera encontrar mais vítimas mortais no local. Na sexta-feira, foram retirados os corpos de dois cunhados, ocupantes de uma carrinha de caixa aberta, também retirada ontem à tarde, depois de arrastada com o colapso da estrada.

"A GNR tem procurado na sua base de dados se nesta região havia mais desaparecidos. Não configura nenhuma situação que leve a concluir que haja mais vítimas no local. Garantias absolutas não existem, o que há é a probabilidade elevadíssima de que recolhemos todos os corpos de todas as vítimas que estavam na pedreira", garantiu este sábado o presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil, tenente-general Mourato Nunes.

Ao 13.º dia de buscas, o presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil anunciou o fim dos trabalhos de resgate na pedreira, uma operação "extremamente complexa e meticulosa" que, garante Mourato Nunes, decorreu "conforme planeado".

O deslizamento de um grande volume de rochas, blocos de mármore e terra e o colapso de um troço de cerca de 100 metros da estrada municipal 255, entre Borba e Vila Viçosa, para o interior de duas pedreiras contíguas ocorreu no dia 19 de novembro às 15h45.

Segundo a Proteção Civil, o acidente provocou a morte de dois trabalhadores da empresa de extração de mármores da pedreira que estava ativa, um maquinista e um auxiliar de uma retroescavadora, cujos corpos já foram recuperados.

Na pedreira contígua, que estava em suspensão de lavra (sem atividade) e é a que possui o plano de água mais profundo, foi onde caíram, pelo menos, as duas viaturas, com um total de três pessoas.

O Ministério Público instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias do acidente, que é dirigido pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Évora, e duas equipas da Polícia Judiciária estão a proceder a averiguações.

O Governo pediu uma inspeção urgente ao licenciamento, exploração, fiscalização e suspensão de operação das pedreiras situadas na zona de Borba.


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vitorino
    01 dez, 2018 lisboa 15:37
    Não seria altura de contabilizar quem não é tratado e seguir percurso em 1 ano para ver efeitos da greve mercenária?/paga.Outra originalidade dos tempos da geringonça e cuja licitude ou não e recolha de fundos precisa de ser averiguada.Fundo com listagem de contribuintes tornada publica e esclarecimento por quem deve se grevistas podem ser pagos para tal.A contradição existe grevista não recebe salario ou------