Tempo
|
A+ / A-

Porto de Setúbal. PSP afasta estivadores que bloqueavam acesso

22 nov, 2018 - 09:00

Dezenas de precários sentados no chão tentaram impedir a passagem do autocarro com trabalhadores que iam carregar um navio com viaturas da Autoeuropa.

A+ / A-
“Daqui para a frente a ministra vai saber o que é uma greve”, diz presidente do sindicato dos estivadores
“Daqui para a frente a ministra vai saber o que é uma greve”, diz presidente do sindicato dos estivadores

Após alguma tensão, os elementos da Unidade Especial de Polícia da PSP afastaram os estivadores que bloqueavam a entrada do porto de Setúbal. Queriam impedir a passagem de um autocarro com trabalhadores contratados que os vão substituir.

Os precários, que se recusam a apresentar ao trabalho desde o passado dia 5, estão desde 6h00 à entrada do terminal de embarque de automóveis do porto de Setúbal, em protesto contra o carregamento de um navio com viaturas produzidas na fábrica da Autoeuropa em Palmela.

Estivadores em protesto bloqueiam autocarro com trabalhadores contratados
Estivadores em protesto bloqueiam autocarro com trabalhadores contratados.

Dezenas de estivadores que permaneciam sentados no chão a bloquear a passagem do autocarro, sob vigilância atenta da PSP, começaram já a ser retirados, um a um, pelos elementos da polícia, depois de serem inicialmente afastados os que estavam em pé em protesto por um cordão policial.

“Alguém foi contratar mercenários para virem furar a luta de outros trabalhadores”, disse à Renascença António Mariano, líder sindical do SEAL.

O sindicalista lembra que o “Porto de Setúbal está parado devido à coação e perseguição que tem sido feita a estes 150 trabalhadores precários. As empresas não são obrigadas a pagar-lhes todos os dias e eles não são obrigados a estar disponíveis para trabalhar”.

Na quarta-feira, a Autoeuropa disse ter recebido garantias do Governo para a realização de um carregamento de automóveis esta quinta-feira.

De acordo com a empresa, o planeamento do navio, que faz parte das escalas regulares para o porto de Emden, na Alemanha, "teve por base a garantia de uma solução para o embarque de veículos dada pelo Governo e pelo operador logístico".

Esta posição fez com que os trabalhadores eventuais, em luta por um contrato coletivo de trabalho, agendassem uma concentração para hoje, em protesto contra o carregamento deste navio com estivadores contratados para os substituírem.

Junto ao porto de Setúbal está montado, desde o início da manhã de hoje, um forte dispositivo policial com dezenas de elementos na Unidade Especial de Polícia e da brigada de intervenção rápida da PSP.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    22 nov, 2018 Lisboa 11:08
    É por causa de situações como estas, que há reposição integral de tempo de serviço e promoções de carreiras com o correspondente aumento de salário nas profissões de repressão, leia-se polícias, oficiais do exército e companhia. Precisam de os manter contentes para eles virem de bom grado, arrear em grevistas e/ou manterem as costas do Costa, bem guardadas.