A+ / A-

Borba. Marcelo esperava que administração pública garantisse segurança da estrada

21 nov, 2018 - 17:13

Aos jornalistas, o Presidente referiu que passou dezenas de vezes pela Estrada Nacional 255, onde na segunda-feira duas pessoas morreram na derrocada de uma pedreira.
A+ / A-

Veja também:


O Presidente da República admitiu esta quarta-feira que esperava que fosse a administração pública a garantir a segurança das estradas, incluindo da antiga Estrada Nacional 255.

Aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa revelou esta tarde que passou "dezenas de vezes" pela estrada que desabou parcialmente na segunda-feira, na zona de Borba, com pelo menos duas pessoas a perderem a vida e três a desaparecerem na derrocada de uma pedreira que ladeava esse troço.

"Passei dezenas de vezes por lá porque profissionalmente tinha de o fazer", declarou Marcelo. "Aquilo que eu tenho dito é que, neste momento, temos de nos concentrar numa atuação que espero que seja rápida mas que pode não ser e depois a seguir haverá o tempo de apurar efetivamente o que terá estado na causa do sucedido."

Sobre eventuais responsabilidades, o Presidente remeteu o apuramento dos factos para mais tarde mas referiu que, "quando passava ali, passava naturalmente, como qualquer pessoa que anda numa via pública, na expectativa de que a administração pública garanta a segurança dos cidadãos".

O primeiro-ministro, por sua vez, garantiu hoje que o Governo nada sabia sobre os riscos da antiga EN 255.

Na sua primeira declaração pública sobre o desastre de segunda-feira, António Costa disse não ter dados oficiais que sustentem qualquer suspeita de risco.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Zeca
    21 nov, 2018 Rua 21:16
    Como dizia o outro... "foi chato..." é que eu pensava que era a administração a garantir a segurança e afinal tenho que vir outra vez de gravata preta..." (isto é o professor a pensar alto)