Tempo
|
A+ / A-

Desastre em Borba. ACT investiga condições de segurança dos trabalhadores

20 nov, 2018 - 18:14

Autoridade para as Condições de Trabalho enviou para o local uma equipa de inspetores.

A+ / A-

A Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) abriu um inquérito para apurar as condições de segurança e saúde dos trabalhadores da pedreira em Borba onde, na segunda-feira, um aluimento de terras provocou pelo menos dois mortos.

Em resposta enviada esta terça-feira à agência Lusa, a ACT diz que, neste momento, "estão em curso diligências de inquérito com vista a averiguar as condições de segurança e saúde dos trabalhadores".

Depois do desabamento de terras, ainda na segunda-feira, a ACT enviou para o local uma equipa de inspetores.

Além de dois mortos confirmados, o maquinista e o auxiliar de uma retroescavadora, há registo de três desaparecidos na zona que, segundo as autoridades locais, viajavam num automóvel e numa carrinha de caixa aberta na estrada entre Borba e Vila Viçosa (Évora) e foram arrastados para dentro da pedreira quando passavam na estrada que ruiu.

O corpo de uma das vítimas mortais foi retirado hoje à tarde.

A fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora adiantou à Lusa que continuam os trabalhos para o resgate do corpo da segunda vítima mortal confirmada, tendo presente "as condições de segurança" dos operacionais, por se tratar de um local "instável".

Três engenheiros do Exército encontram-se em Borba a participar na avaliação das condições de segurança para as operações de resgate das vítimas, segundo disse à Lusa a porta-voz daquele ramo das Forças Armadas.

"Recebemos uma solicitação da Autoridade Nacional de Proteção Civil para enviar para o local especialistas de engenharia, que pudessem fazer uma avaliação técnica das condições de segurança para apoiar futuras operações de busca", disse a major Elisabete Silva.

De acordo com a Proteção Civil, o resgate das vítimas do deslizamento de terras vai envolver a drenagem de águas da pedreira e a utilização de equipamento para detetar viaturas submersas.

O Ministério Público também instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias do deslizamento de terras.

Tópicos
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.