Tempo
|
A+ / A-

Borba. Autoridades avaliam condições de segurança para iniciar resgate das vítimas

20 nov, 2018 - 10:32

Trabalhos em curso procurar avaliar e criar as "condições de segurança" para proceder às operações de resgate das vítimas.

A+ / A-

Veja também


As autoridades estiveram na manhã desta terça-feira a fazer uma "avaliação no terreno" sobre as condições de segurança para o resgate das vítimas do deslizamento de terras para uma pedreira, em Borba.

De acordo com fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora, citada pela agência Lusa, o objetivo é "haver condições de segurança" para a realização das operações de resgate das vítimas.

Já na segunda-feira, o comandante distrital de Operações de Socorro CODIS de Évora, José Ribeiro, adiantava que a operação de resgate é de “complexidade extrema” e poderá demorar “dias ou semanas”.

Fontes das GNR e dos bombeiros adiantaram que, durante a madrugada, se registaram novos deslizamentos de terras no local, por os terrenos estarem "instáveis".

As operações envolviam, cerca das 10h00 de hoje, 47 operacionais e 24 viaturas, entre bombeiros, Força Especial de Bombeiros (FEB), serviço Municipal de Proteção Civil, GNR, Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), Exército e Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC).

O deslizamento de terras da estrada que ruiu para uma pedreira, na tarde de segunda-feira, provocou, pelo menos, dois mortos, segundo o Comandante Distrital de Operações de Socorro (CODIS) de Évora, José Ribeiro.

Trata-se, segundo o responsável, de dois operários da empresa que explora a pedreira.

"Ocorreu o deslizamento de um grande volume de terra" na antiga estrada nacional 255, que provocou "a deslocação de uma quantidade muito significativa de rochas, de blocos de mármore e de terra para o interior de uma pedreira", relatou o CODIS de Évora, indicando o alerta foi dado às 15h45 de segunda-feira.

Em consequência do deslizamento de terras, "houve dois operários da empresa que explora aquela pedreira que foram arrastados", sendo estas as duas vítimas mortais que é possível confirmar.

As equipas de socorro estabeleceram, ainda na segunda-feira, contacto visual com uma retroescavadora e uma das vítimas arrastadas para o interior da pedreira.

O aluimento de um troço da estrada 255, no percurso entre Borba e Vila Viçosa, provocou também a queda de dois veículos civis, um ligeiro e uma carrinha de caixa aberta, para dentro da pedreira, "com 50 metros de profundidade".

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Valter
    20 nov, 2018 Vale 11:12
    Vieram ao local ver o resultado da experiência... É como na II Guerra, Hitler também avaliava o resultado das experiências...