|
A+ / A-

Derrocada em Borba. Administrador de pedreira alertou autarquia há dois anos

19 nov, 2018 - 19:34

Estrada entre duas pedreiras ruiu, arrastando várias viaturas.

A+ / A-

Veja também:


Luís Sotto Mayor, administrador de uma das pedreiras localizada junto à estrada municipal entre Borba e Vila Viçosa que ruiu esta segunda-feira, já tinha alertado para o estado daquela via há dois anos.

“Era uma situação não digo previsível, mas para a qual eu já tinha chamado à atenção há algum tempo”, disse Luís Sotomaior à Renascença.

“Eu e os meus colegas tínhamos feito uma reunião na câmara nesse sentido e apresentado alternativas. Foi um trabalho conjunto que fizemos no sentido de minimizar o problema”, adianta.

As imagens da estrada que ruiu em Borba
As imagens da estrada que ruiu em Borba

O administrador de uma das pedreiras da zona explica que a estrada, que ruiu numa extensão de 100 metros arrastando várias viaturas, era como uma “pontezinha muito estreitinha” entre duas pedreiras.

“Às vezes com os pequenos sismos… isto é um material que geologicamente há sempre problemas de poder cair ou qualquer coisa”, sublinha Luís Sotto Mayor.

Um troço da antiga Estrada Nacional 255 que liga Borba a Vila Viçosa, em Évora, abateu esta segunda-feira, provocando "várias vítimas". A informação está a ser avançada por fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Évora (CDOS).

À Renascença, fonte do CDOS confirma que "há cinco vítimas submersas", que caíram na pedreira após o aluimento de terras na estrada municipal. Para já as informações são contraditórias sobre o número de vítimas mortais.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.