A+ / A-

Professores em protesto. Centenas de plenários, greve e uma manifestação marcam início das aulas

17 set, 2018 - 06:40

Dados do Ministério da Educação mostram que as escolas públicas e privadas terão este ano matriculados cerca de 1,5 milhões de alunos.
A+ / A-

Veja também:


As aulas começam esta segunda-feira para a maioria dos alunos portugueses, que regressam aos bancos da escola numa semana que os sindicatos de professores prometem marcar com plenários em todo o país.

São centenas os plenários previstos para a escola pública esta semana para discutir a continuidade da luta pela contagem integral do tempo de serviço congelado - nove anos, quatro meses e dois dias -, uma reivindicação que o Governo tentou afastar ao avançar unilateralmente, sem acordo dos sindicatos, com a decisão de apenas contar dois anos, nove meses e 18 dias, com efeitos a partir de janeiro de 2019.

Segue-se uma semana de greve entre 1 e 4 de outubro e uma manifestação nacional de professores em Lisboa a 5 de outubro, feriado que coincide com o Dia Mundial do Professor.

À margem da contestação sindical, os alunos regressam às escolas para encontrar este ano mudanças legislativas aprovadas há menos de três meses e para as quais as escolas lamentam não ter tido tempo suficiente para se prepararem e adaptarem, nomeadamente no que diz respeito à educação inclusiva e à autonomia e flexibilização curricular, que deixa de estar confinada a um projeto-piloto, que abarcou cerca de 200 escolas, e passa a ser lei para todas as escolas que a queiram implementar.

Os professores do ensino básico vão ter este ano turmas mais pequenas, com os limites fixados agora nos 24 alunos por turma no 1.º ciclo e entre os 24 e 28 alunos nas turmas do 2.º e 3.º ciclos.

A abertura do ano letivo vai ser assinalada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, na inauguração da obra de requalificação e conservação da Escola Básica e Secundária de Celorico de Basto, distrito de Braga.

Segundo dados do Ministério da Educação as escolas públicas e privadas terão este ano matriculados cerca de 1,5 milhões de alunos, abrangendo todos os níveis - do pré-escolar ao ensino secundário - e modalidades de ensino (como as vias regular, profissional ou artística).

Se os alunos do privado já começaram as aulas no início do mês, os do público só agora retomam os estudos.

No ensino básico público estão matriculados mais de 730 mil alunos e no ensino secundário público mais de 170 mil.

Vão funcionar cerca de 5.500 escolas públicas, maioritariamente agregadas em 811 agrupamentos escolares.

Escola Alexandre Herculano pede obras há 7 anos. Requalificação chega no final do ano letivo
Escola Alexandre Herculano pede obras há 7 anos. Requalificação chega no final do ano letivo
Liceu Camões. “Como São Tomé, só acredito nas obras só quando as vir”
Liceu Camões. “Como São Tomé, só acredito nas obras só quando as vir”

legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ninguém
    17 set, 2018 vila 14:18
    António,pelos vistos pouco apendeste na escola,oxalá os teus filhos tenham mais sorte.
  • xxi
    17 set, 2018 14:12
    Então António dos santos só sabes criticar os professores? Não vês os podres que deverias ver? É bater sempre no ceguinho. Já agora também devias ler o que o comentador "pai" diz. Ou não te interessa?! Convém é malhar sempre no mesmo, não?!
  • Pai
    17 set, 2018 Aveiro 10:14
    Bom dia Renascença, No Centro Escolar de Santiago, em Aveiro, todas as turmas do 4º ano estão ilegais neste tema. Turmas com 28 alunos em que na mesma turma existem alunos de 4º, alunos de 3º ano, alunos com NEE, alunos invisuais e se esperam por mais alunos. Uma notícia que deveria de ser divulgada em detalhe. Fica a dica!
  • António dos Santos
    17 set, 2018 08:07
    Lá começam os chulos dos professores no seu melhor!!!! Esta cambada de malandros e parasitas, vão continuar a prejudicar os nossos filhos! Eles ganham mal, mas andam sempre a fazer greve!!!! Se não estão satisfeitos, porque não saem do ensino? Há mais gente séria e com capacidade para dar aulas, que a maioria dos actuais professores.