Tempo
|
A+ / A-

Lisboa, Porto e Faro juntam-se à Marcha Mundial do Clima

08 set, 2018 - 11:59

Mais de 40 organizações portuguesas de defesa do ambiente, movimentos cívicos, sindicatos e partidos políticos juntam-se à iniciativa mundial, a partir das 17 horas.

A+ / A-

A Marcha Mundial do Clima realiza-se, este sábado, em várias cidades de todo o mundo e Portugal junta-se à iniciativa em Lisboa, Porto e Faro, com o lema “Parar o petróleo! Pelo clima, justiça e emprego!”.

Mais de 40 organizações portuguesas de defesa do ambiente, movimentos cívicos, sindicatos e partidos políticos juntam-se à iniciativa mundial. As marchas nas ruas de Lisboa, Porto e Faro estão marcadas para as 17 horas, para “exigir que não se inicie a exploração de combustíveis fósseis e se faça uma transição justa e rápida para as energias renováveis”.

Em entrevista à Renascença, Francisco Ferreira, presidente da associação ambientalista Zero, explica que "em Portugal, o principal mote das manifestações é o repúdio por estarmos a iniciar um novo ciclo à procura de petróleo em Aljezur e de gás natural em Aljubarrota", algo que o ambientalista considera "eticamente incompreensível".

"As alterações climáticas exigem um compromisso de todos os países", afirma o ativista, lembrando que Portugal aderiu ao Acordo de Paris e tem um compromisso para a neutralidade carbónica em 2050.

O ambientalista espera uma forte adesão às marchas. "A nossa esperança é que haja disponibilidade para que as pessoas se envolvam neste alerta. É o nosso futuro que está em jogo", diz Francisco Ferreira.

Em Lisboa, o movimento parte do Cais do Sodré em direção ao Rossio. No Porto, a marcha inicia-se na Praça da Liberdade e em Faro no Largo da Sé.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.