Tempo
|
A+ / A-

Se lhe pagassem reciclava mais? Veja aqui como lucrar com materiais recicláveis

02 ago, 2018 - 17:15

Foi o que uma empresa de resíduos quis saber. Para tal, lançou uma campanha, esta quinta-feira, numa rede de supermercados portuguesa.

A+ / A-

A partir desta quinta-feira, está em curso uma campanha que paga, por cada saco de materiais recicláveis entregue, entre 15 e 30 cêntimos. A iniciativa é da EGF (Environment Global Facilities), empresa europeia do setor ambiental.

“Estamos a avançar hoje em 15 lojas [Pingo Doce], onde vamos retribuir ao cidadão um valor por cada saco que nos entrega com as embalagens que habitualmente já podia separar no ecoponto”, explica à Renascença Ana Loureiro, da EGF.


“É uma campanha piloto nessas lojas - desde o Minho até à zona da Península de Setúbal”, acrescenta, explicando ainda que o objetivo é “testar se o cidadão de facto adere com mais facilidade a hábitos de separação de embalagens usadas se houver um benefício económico direto”.

O Pingo Doce é a rede de supermercados que se tornou parceira da iniciativa, que vai decorrer nos parques de estacionamento das lojas.

“Dirige-se ao nosso monitor, que está num espaço identificado e que está com um ecoponto ao lado. Pode levar sacos de 30 litros ou de 50 litros com todos os materiais que entram no ecoponto, seja papel e cartão, vidro, embalagens de plástico e metal. Por cada saco recebe: 10 cêntimos se for um saco de 30 litros ou 15 cêntimos por sacos de 50 litros”, explica Ana Loureiro.


O valor é colocado no cartão de cliente da cadeia de supermercados e pode ser descontado logo de seguida.

A campanha “Reciclar Vale Mais” vai decorrer durante dois meses nas seguintes lojas: Monção, Vila Nova de Cerveira, Arcos de Valdevez, Viana do Castelo, Vila Nova de Gaia (Coimbrões), em Santa Maria da Feira, Águeda, Aveiro, Porto de Mós, Batalha, Quinta do Conde, Barreiro e Alcochete.

Dependendo dos resultados, “vamos decidir como vamos ampliar esta rede de ecopontos especiais”, avança a responsável da EGF.

Num comunicado divulgado esta quinta-feira, a empresa explica que se trata de uma iniciativa pioneira em Portugal. À Renascença, Ana Loureiro explica ainda que no âmbito da candidatura “a um fundo comunitário, que é o POSEUR – Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos”.

O objetivo é sensibilizar a população para a separação de resíduos e, em simultâneo, alertar para o benefício imediato de colocar as embalagens usadas no ecoponto, demonstrando que a reciclagem tem valor. Pretende desta forma também garantir que as metas nacionais são alcançadas e que as embalagens usadas são entregues nas empresas responsáveis pela sua gestão e tratamento.

A EGF “é responsável por assegurar o tratamento e valorização de resíduos, da forma ambientalmente mais correta e economicamente sustentável, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e do ambiente.

A gestão dos sistemas de tratamento e valorização de resíduos é feita através de 11 empresas concessionárias (Algar, Amarsul, Ersuc, Resiestrela, Resinorte, Resulima, Suldouro, Valorlis, Valorminho, Valnor, Valorsul), constituídas em parceria com os municípios servidos, que processam anualmente cerca de 3,2 milhões de toneladas de resíduos urbanos (RU), servindo uma população de 6,3 milhões de pessoas distribuídas por 174 municípios, numa área equivalente a 60% do território em Portugal”, lê-se no comunicado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Paulo Cerqueira
    07 ago, 2018 Lisboa 18:01
    Oh amigo Fanã, não seja injusto com o sr presidente Trampa ele coitado não tem a culpa toda de todos os males que acontecem no mundo. Não é ele coitado (até que a mulher é jeitosa) que vende as armas àquele que já está a cair de Maduro daquele país tão próspero (quase território dos dos nossos concidadãos madeirenses) que pertenceu à Gran Colombia agora Venezuela, à falta de Kadafis ( que sustinha as tribos nómadas do deserto e consegui constituir um país que se chama Líbia hoje sem governo, sem ordem, sem lei, ou o grande senhor do Iraque que caiu no erro de ter mais olhos que barriga e queria também anexar o Kuwait que antes de lhe fazerem a barba por completo e se chamava Saddam Hussein e não quis ir na conversa dos americanos em vender o petróleo só em troca de dólares (ou petrodólares que não tinham valor nenhum) e temos também o ditador da Turquia, o assassino das Filipinas, a criança mimada da Coreia do Norte, o Irão ou não irão acabar com o arsenal nuclear e depois destes loucos todos a governar o planeta ainda haverá esperança? Eu gostava de fazer uma pergunta e especificamente ao que se passa lá para os lados do Sudão que era um país pobre e por questões religiosas os cristãos resolveram fundar o Sudão do Sul que é ainda mais pobre: O que será mais dispendioso uma bala ou um pedaço de pão?? Aí o nosso amigo, o sr presidente Trampa tem razão: Os professores deveriam ir munidos de armas para as salas de aula senão as crianças enchem o chão de migalhas e sangue!!!
  • fanã
    07 ago, 2018 aveiro 15:26
    Caro Sr. P. Cerqueira, entendeu mal ou levou ao primeiro grau a minha referencia a frase proferida por o mais que contestado Presidente dos USA. A minha alusão ao mesmo , foi pura ironia . É evidente que condeno em tudo a atitude deste "Provocador" que ameaça tudo e todos,dia sim dia não ao sabor da sua fantasia .
  • Paulo Cerqueira
    06 ago, 2018 Lisboa 20:32
    Novamente não estou completamente de acordo consigo: Faça a sua parte e os outros que não o fazem não são responsabilidade sua. Dizia a Madre Teresa de Calcutá que o seu trabalho era apenas uma gota de água no Oceano mas que o Oceano não seria o mesmo sem essa pequena gota. Não esteja à espera que os outros comecem para começar que pode já ser demasiado tarde. Se realmente considera que as alterações climatéricas são meras utopias não se escandalize quando tiverem que andar centenas de metros para beber uma gota d'água (tomar banho estará fora de questão) ou quando sentir que as areias do Sahara estão a invadir o Sul da península Ibérica. Eu espero que tais factos não aconteçam na minha geração mas que herança é que eu vou deixar aos vindouros das próximas gerações?? Se nada disto o incomoda vamos mas é ver os debates políticos em que todos eles têm razão e argumentos para defender o indefensável ou os comentadores da bola que enchem os programas da televisão que coitados também precisam de dinheiro e vender publicidade!! Gosto muito quando as fábricas são notificadas para encerrarem as instalações devido aos índices de poluição que provocam e se ouve como respostas que isso seria um grande prejuízo para as pessoas que dependem daquele posto de trabalho!!! E os outros que vão para ao hospital devido aos tóxicos e à poluição, será para garantir o posto de trabalho aos profissionais da saúde???
  • fanã
    04 ago, 2018 aveiro 18:20
    Caro Sr. Paulo Cerqueira. Em termos Ambientais e qualidade alimentar tem 100% razão !..... Mas repare nas Poluições de todos os géneros provenientes de descargas fabris, tal como recentemente aconteceu no Tejo .........Qual foi a decisão do Juiz em Tribunal, uma simples advertência como se dá a um garoto que fez asneira, entre tanto os custos de despoluir o rio ficam a conta do Estado , ou seja nós . Penalizar poluidores Poderosos é pura utopia , tanto terrestres , marítimos como aéreos. O Planeta está condenado a sofrer os nossos abusos, e responde com alterações climáticas cada vez mais devastadoras . Bem posso eu fazer todo o meu possível para reciclar , poluir o menos possível, mas tanto eu como você não somos solução para o problema. Como diz o Trump " as alterações climáticas são mentiras " . Bem haja !
  • Paulo Cerqueira
    03 ago, 2018 Lisboa 18:05
    Caro amigo Fanã, não leu bem ou eu não me expressei bem porque eu disse "começou com os sacos de plástico devia de continuar..." Perfeitamente de acordo no que diz respeito à utilização de sacos de papel e de embalagens de papel reciclado (como se fazia nas embalagens dos ovos, por exemplo) e tudo o mais que é embalado em doses maciças em película de plástico inclusivo a fruta. Por falar em fruta que tem que ser calibrada (eu prefiro a chamada fruta feia) e que a ASAE sempre pronta a fechar e a tirar do mercado permite a utilização de mais de 17 inseticidas e pesticidas além de, para a fruta parecer mais atraente, permitir o uso de parafina para a tornar mais apelativa. Moral da história: Nós já não podemos comer a fruta à dentada, onde a casca com toda a sua vitamina está poluída. Se faz mal à saúde que se proíba ou se atribua coimas de tal maneira que não seja rentável prevaricar, se os plásticos prejudicam o ambiente, se a utilização dos combustíveis fósseis dão origem ao calor de que todos se queixam e ninguém faz nada: Que se multe o ser humano que não trata os efluentes e mata milhares de peixes e depois dizem as autoridades o nível máximo suportável é de 100, a partir deste momento só pode poluir 50... Deixem rir que esta história não é minha!!!
  • fanã
    02 ago, 2018 aveiro 19:18
    Caro Paulo Cerqueira, tem razão naquilo que afirma, mas pense bem ................Se este ultimo incentivo lhe parece inútil também é inofensivo , é simplesmente mais um incentivo. No Supermercado nada lhe é "impingido" , se quiser optar por não utilizar os sacos plásticos , é o seu direito e eu aprovo tal decisão. Por minha parte , a minha critica as grandes superficies , é de não disponibilizarem sacos em papel reciclado, isso sim seria um grande passo para o bem do Planeta, e se não o fazem por uma OCULTA razão é !........... Um tema de investigação para os Jornalistas da R.R !
  • Paulo Cerqueira
    02 ago, 2018 Lisboa 18:51
    Para mim isto é tudo uma falsa questão e até mesmo uma hipocrisia. Na zona onde eu moro (Picheleira) não há nas proximidades nenhum ecoponto. Alguns foram realmente foram vandalizados mas bastaria à CML repor a bem da cidadania e da reciclagem., outros foram pura e simplesmente retirados sem razão aparente e nunca mais foram vistos. Talvez nas próximas eleições eles se façam presentes, se bem que não votem conquistam votos. Numa população envelhecida não estão à espera que os "velhotes" andem carregados de garrafas, papéis, plásticos, etc... a pé à procura dum pilhão, dum papelão ou de até um contentor de lixo que falta na maior parte da cidade. Apenas nas zonas de turismo envernizam o lixo para não ficarmos mal vistos. No que diz respeito às grandes superfícies comerciais a reciclagem que começou com os sacos de plástico devia de continuar com a forma com embalam todos os produtos que vendem: É impossível ir fazer compras aos supermercados sem trazer toneladas de lixo em plástico para casa. Bom seria poder devolver esse lixo onde nos foi impingido. A experiência de comprar a cidadania de cada um lembrem-se um homem não tem preço, um homem tem valor!!!