Tempo
|
O Mundo em Três Dimensões
Números que contam histórias de segunda a sexta-feira (05h40, 17h50 e 21h05).
A+ / A-
Arquivo
O Mundo em Três Dimensões - Vida Humana - 16/07/2018
O Mundo em Três Dimensões - Vida Humana - 16/07/2018

E se os humanos desaparecessem da Terra?

16 jul, 2018 • André Rodrigues Paulo Teixeira (sonorização)


Luzes desligadas, túneis alagados, edifícios destruídos e satélites a cair. Eis algumas das consequências, ao longo do tempo, do desaparecimento dos seres humanos da Terra.

O projeto Mind Warehouse elaborou uma ordem cronológica de acontecimentos que ocorreriam no planeta se todos os humanos deixassem de existir.

Depois do desaparecimento do último ser humano da Terra, em poucas horas, a maior parte das luzes à volta do mundo apagava-se, porque boa parte das estações de fornecimento de energia funcionam com combustíveis fósseis e, se não forem reabastecidas, deixam de funcionar. E mesmo a energia eólica, solar e hidroelétrica não seriam capazes de manter as luzes ligadas por muito mais tempo.

Em dois ou três dias, a maior parte das estações de metro e parques subterrâneos estaria completamente alagada porque os sistemas de bombardeamento que extraem as águas subterrâneas dependem da ação humana.

Em dez dias, os animais de estimação morreriam à fome e à sede. Um mês depois, a água de arrefecimento das centrais nucleares iria evaporar, o que poderia desastres da dimensão de Chernobyl.

Após um ano, os satélites que gravitam à volta da terra começariam a cair. Em 25 anos, a vegetação cobriria todo o planeta, à exceção de cidades como o Dubai e Las Vegas, que estariam debaixo de areia. A vida selvagem tornar-se-ia presente em quase toda a superfície e o ar seria muito mais limpo.

Três séculos volvidos, os edifícios e as pontes colapsavam por causa da corrosão. Só as construções em pedra é que conseguiam resistir durante mais tempo. Dez mil anos seria o tempo que levaria a desaparecer a Grande Muralha da China, as pirâmides do Egito ou o monte Rushmore, nos Estados Unidos.

Mas o plástico é o grande campeão da longevidade dos materiais. Daqui a 50 milhões de anos, as garrafas de plástico seriam os únicos vestígios da nossa civilização e só desapareciam por completo passados outros 50 milhões de anos.

E quanto tempo levaria a Terra a ser de novo habitada por uma espécie inteligente? Eventualmente só daqui a 300 milhões de anos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Mangorda
    18 jul, 2018 Azemelia 07:57
    O Fanã não sabe escrever e é morcão. Paraíso sem gente só se for no planeta dos Anantropos. É cada estúpido...
  • fanã
    16 jul, 2018 aveiro 19:24
    Talvez o Planeta se torna-se Un Paraíso !!!!!!