|

20 anos da Expo 98

“Portugal aguardava o momento para se mostrar ao mundo”

22 mai, 2018 - 07:02 • Dina Soares , Joana Bourgard

Em 1998, António Costa era ministro dos Assuntos Parlamentares, mas o atual primeiro-ministro já acompanhava a Expo desde o início, primeiro como deputado municipal em Lisboa e depois como vereador na Câmara de Loures. A Renascença recorda a Expo com 20 histórias da maior intervenção feita na cidade de Lisboa desde o terramoto de 1755.

A+ / A-
“Portugal aguardava o momento para se mostrar ao mundo”
“Portugal aguardava o momento para se mostrar ao mundo”

Veja também:


A primeira vez que foi visitar as obras da Expo, António Costa assustou-se. A seis meses da abertura, nada estava pronto. No recinto, só havia obras e lama. No entanto, e contra todas as expetativas, a exposição abriu a horas. No dia em que passam precisamente 20 anos sobre essa data, António Costa, então ministro dos Assuntos Parlamentares com a tutela da Expo, dá uma entrevista à Renascença na qual defende que hoje já não faria sentido organizar um evento daquela dimensão em Portugal.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • An
    22 mai, 2018 Al 19:38
    Kosta pantomineiro, vais por o país na miséria! Mas, como já alguém dizia, cada um tem aquilo que merece.
  • João
    22 mai, 2018 Coimbra 11:00
    É lamentável este culto de imagem e esta subserviência da comunicação social ao poder. Tanta gente que efetivamente contribuiu para o êxito da Expo, muito mais do que este Sr. que apareceu a meses da abertura, que só se percebe este protagonismo como promoção para as próximas eleições. -Ninguém diz nada sobre a marcha de manifestação de professores, onde estiveram mais de 50 mil, no passado domingo - o foco foi o casamento Inglês e o Futebol... -Tudo se cala ao aumento dos combustíveis, em que o Governo se compromete a baixar os impostos e não cumpre... (não tenho trasporte públicos e faço mais de 80Km/dia para trabalhar!) Bem dizia António Arnaut - a democracia está em perigo!