Tempo
|
Francisco Assis-João Taborda da Gama
Um eurodeputado e um professor universitário (especialista em direito fiscal) a viver em Lisboa olham para os principais temas da atualidade. Às terças e quintas, às 9h15
A+ / A-
Arquivo
Debate Francisco Assis e João Taborda da Gama - 24/04/2018
Debate Francisco Assis e João Taborda da Gama - 24/04/2018

Francisco Assis/João Taborda da Gama

Ideias para habitação “são de saudar”, mas “Estado ainda não esgotou o que pode fazer”

24 abr, 2018


As propostas do Governo para a habitação dão o mote ao debate entre Francisco Assis e João Taborda da Gama.

As rendas longas vão pagar menos impostos, os inquilinos com mais de 65 anos terão acesso a arrendamento vitalício e os deficientes com mais de 60% de incapacidade estão também protegidos, segundo a proposta do Governo.

São medidas “de saudar, desde logo porque se afastam daquilo que parece ser a filosofia do Partido Socialista no Parlamento, de ocupação e nacionalização de casa e até congelamento de rendas. É de saudar uma perspetiva mais moderada”, defende João Taborda da Gama.

Francisco Assis defende que as ideias apresentadas, nomeadamente a que promove o alojamento de longa duração, “não penaliza alojamento local, que tem tido um papel essencial na renovação das nossas cidades”.

Quanto à proposta de Helena Roseta, de usar as casas de proprietários privados, João Taborda da Gama lembra que “o Estado não esgotou ainda aquilo que pode fazer” e que só quando o fizer poderá “em medidas que sejam invasoras da propriedade privada”.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.