|
A+ / A-

Francisco critica políticas laborais que criam "novos excluídos"

06 abr, 2018 - 13:53 • Ecclesia

No vídeo em que apresenta a todos os católicos a sua intenção de oração para o mês de abril, o Papa convida a “levantar a voz juntos” para que os responsáveis pelo planeamento e gestão “tenham a coragem de rejeitar uma economia de exclusão".

A+ / A-

O Papa Francisco critica as políticas laborais e a “economia de exclusão”, num vídeo divulgado esta sexta-feira, em que apresenta a sua intenção de oração para o mês de abril a todos os católicos.

“A economia não pode pretender apenas aumentar a rentabilidade, reduzindo o mercado de trabalho e criando assim novos excluídos”, refere, na intervenção difundida através do projeto "O Vídeo do Papa".

Francisco convida a “levantar a voz juntos” para que os responsáveis pelo planeamento e gestão da Economia “tenham a coragem de rejeitar uma economia de exclusão e saibam abrir novos caminhos”.

O Papa sustenta que a Economia “deve seguir o caminho dos empresários, políticos, pensadores e agentes sociais que colocam em primeiro lugar a pessoa humana e fazem todos os possíveis para assegurar que haja oportunidades de trabalho digno.

Francisco reitera o que escreveu na Exortação Apostólica "Evangelii Gaudium" contra uma "Economia da Exclusão".

“Assim como o mandamento «não matar» põe um limite claro para assegurar o valor da vida humana, assim também hoje devemos dizer «não a uma economia da exclusão e da desigualdade social». Esta economia mata”, pode ler-se no documento programático do atual pontificado.

O "Vídeo do Papa" é uma iniciativa global do Apostolado da Oração (AO), da Companhia de Jesus.

De acordo com este organismo, estima-se que façam parte da Rede Mundial de Oração do Papa mais de 30 milhões de pessoas, em dez idiomas.

O "Vídeo do Papa", que conta com o apoio da Rede Mundial de Oração do Papa – Portugal, é produzido pela La Machi – Comunicação para Boas Causas, com o apoio da Companhia de Jesus, IndigoMusic, GettyImagesLatam, Doppler Email Marketing e a colaboração do portal multimédia do Vaticano.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.