|
A+ / A-

Caso Facebook. PS exige consequências criminais caso haja violação de dados

06 abr, 2018 - 14:03

Os socialistas querem ouvir a presidente da Comissão Nacional de Protecção de Dados sobre o caso que envolve a rede social Facebook. A Cambridge Analytica poderá ter recolhido dados 63.080 utilizadores do Facebook em Portugal.

A+ / A-

O grupo parlamentar do Partido Socialista quer ouvir a presidente da Comissão Nacional de Protecção de Dados, Filipa Galvão, sobre a possibilidade dos dados de 2,2 milhões de utilizadores portugueses terem sido recolhidos pela Cambridge Analytica através da rede social Facebook.

"A ideia de que, contrariamente ao que diz a constituição, possa ter havido alguém que utiliza e recolhe indevidamente dados de cidadãos portugueses para fins de instrumentalização política não pode deixar de receber uma resposta legal e ser punida por lei", defendeu Filipe Neto Brandão, vice-presidente da bancada socialista.

O deputado quer assim chamar ao parlamento a Comissão Nacional de Protecção de dados para prestar esclarecimentos sobre o caso, já que classifica o caso como "uma violação gravíssima da lei".

"Trata-se de uma preocupação não apenas do grupo parlamentar do PS, mas sim de todos os cidadãos que utilizam as redes sociais", garante o deputado, que quer saber aquilo que a protecção de dados está a fazer para averiguar esta recolha de dados de cidadãos portugueses.

Na quarta-feira, numa conferência por telefone com vários órgãos da imprensa internacional, Mark Zuckerberg admitiu que os dados de 2,2 milhões de utilizadores “podem ter sido acedidos indevidamente”, naquela que foi a primeira confirmação oficial do Facebook sobre o escândalo do desvio de dados, depois da empresa de pesquisa Cambridge Analytica ter revelado, em março passado, que teve acesso a dados compilados pela empresa.

De acordo com uma fonte oficial da rede social norte-americana, a consultora pode ter acedido a dados de cerca de 63.080 utilizadores do Facebook em Portugal.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.