|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

​"Brexit não teria acontecido sem a Cambridge Analytica”

26 mar, 2018 - 20:10

Denunciante da utilização indevida de dados do Facebook descreve o arsenal de ciberguerra da direita radical americana, que ajudou Donald Trump a chegar à presidência dos Estados Unidos.

A+ / A-

Veja também:


A saída do Reino Unido da União Europeia “não teria acontecido sem a Cambridge Analytica”, afirma Christopher Wylie, o denunciante da fuga de dados de milhões de utilizadores do Facebook.

Em entrevista a vários jornalistas europeus divulgada pelo jornal “El Pais”, o canadiano Christopher Wylie diz não ter dúvidas de que o trabalho da Cambridge Analytica influenciou o resultado do referendo sobre o Brexit.

“Absolutamente. Foi importante porque o referendo foi ganho por menos de 2% dos votos e gastou-se muito dinheiro em publicidade à medida, baseada em dados pessoais”, afirma o denunciante do escândalo.

Nesta entrevista, Christopher Wylie descreve como desenhou o arsenal de ciberguerra da direita radical americana, que ajudou Donald Trump a chegar à presidência dos Estados Unidos.

A Cambridge Analytica ficou com informações pessoais sobre mais de 270 mil utilizadores do Facebook em 2014 e 2015 sem autorização, apesar de ter dito que as tinha apagado.

A empresa utilizou o perfil desses utilizadores para ter acesso aos dados de mais de 50 milhões de pessoas, informação que utilizou para criar propaganda personalizada durante as eleições norte-americanas de 2016.

A Cambridge Analytica ficou mais conhecida depois de ter trabalhado para a campanha presidencial de Donald Trump, tendo criado perfis psicológicos baseados em informações pessoais de milhões de norte-americanos para categorizar os votantes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Gloria
    02 abr, 2018 lisboa 13:50
    Estes não descobriram nada ,arranjaram forma de fazer propaganda politica via NET copiando oque já se fazia digamos de forma analógica no terrenos através canais TV,arruadas,arruaças,convidados internacionais etc.Veio para ficar e esta realidade virou a forma de fazer comunicação politica e eleitoral.Quem quizer ficar no antigamente extinguir-se- á.A reação pelos vellhos políticos e organizações que no terreno manipulavam a opinião publica reagiu negativamente pela perda determinante do quarto poder e análogos.