Tempo
|
A+ / A-

Henrique Raposo: "O que penso do Congresso do PSD? Vou votar no CDS"

19 fev, 2018 - 10:21

Raposo vê Rui Rio como "um glaciar" e diz que "este PSD não é nada". Jacinto Lucas Pires detecta "laivos de substância" no discurso de Rio, mas não vê nele "uma visão global".

A+ / A-

"Perguntam-me o que achei do Congresso do PSD e eu repondo 'vou votar no CDS'". É desta forma que Henrique Raposo aborda, no programa Carla Rocha - Manhã da Renascença, a reunião magna social-democrata do fim-de-semana.

"Sou daqueles eleitores clássicos de direita, que hesita sempre entre votar PSD ou CDS. Normalmente, são questões de pormenor que decidem o meu voto, porque, na minha cabeça, estou sempre a votar no mesmo bloco político-partidário. Em 2019, não vou ter essa hesitação. Claro que vou votar CDS", diz Raposo.

Para o comentador da Renascença, "Rui Rio está a transformar o PSD, novamente, no Clube dos Inadiáveis", recordando que este foi "um bloco dentro do PSD que quis destruir Sá Carneiro, porque não tolerava a ideia de haver uma direita assumida a governar o pais".

Elencando nomes desse movimento da história do PSD, Henrique Raposo lembra "Mota Pinto, Sousa Franco, Magalhães Mota e outras personagens que hoje parecem personificadas por Rui Rio e Pacheco Pereira".

"Claro que eles têm as suas ideias, mas são contrárias às minhas. Portugal precisa de um bloco de centro-direita que faça concorrência ao bloco da esquerda. Não precisa deste PSD que não é peixe nem carne, que não é nada", aponta.

"Rui Rio fala em fazer acordos com Costa e o PS, mas vai fazer acordos em posição de fraqueza. Não se percebe bem o que quer, não entendo. Rio é um glaciar, não me recordo de ver tão pouco entusiasmo à volta de um líder político", remata Henrique Raposo.

Jacinto Lucas Pires: "Laivos de substância"

Jacinto Lucas Pires, que debate com Raposo, ás segundas e quartas-feiras, no programa Carla Rocha - Manhã da Renascença, diz, por seu lado, que o discurso de Rui Rio revelou "laivos de substância", nomeadamente, "nas ideias económicas e na ideia de descentralização, em nome de um país que deve ser menos paroquial".

Todavia, Lucas Pires critica dois falhanços do novo líder do PSD, neste congresso: "Havia duas coisas que precisava de fazer e não fez. Uma era conseguir unidade interna, mas não o fez, visivelmente, porque é publico que as feridas não sararam. Outra era encontrar uma visão mobilizadora, que mobilizasse para fora".

Para Jacinto Lucas Pires, nenhuma ideia de Rio "foi sintetizada em formas politicamente criativas", pelo que a sua intervenção "não transmite uma visão global, sistemática ao país".

O "caso Elina"

A indicação de Elina Fraga, antiga bastonária da Ordem dos Advogados, para uma das vice-presidências da nova comissão política constituiu um dos casos da reunião do fim-de-semana, com a contestação a ser bem evidente com os assobios e vaias de delegados e convidados.

Para Henrique Raposo, a escolha de Fraga representa "uma provocação ao anterior líder do partido".

"É uma personagem que me parece uma espécie de Marinho Pinto, naquele tipo de populismo muito antissistema. Foi resgatada por Rio para fazer uma espécie de pirraça ao passismo e isso não ajuda nada a unidade do partido", acrescenta.

"Não concebo a ideia de que a escolha tenha resultado de um erro", remata Henrique Raposo.

Por sua vez, Jacinto Lucas Pires não valoriza excessivamente o episódio: "Não tenho grande opinião, mas, se era para dar um sinal de que as coisas mudaram, o sinal está dado. Se era para encontrar unidade, foi um tiro na água."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Alexandre
    19 fev, 2018 Lisboa 19:46
    Finalmente, ficamos a saber a cor política de Henrique Raposo. Outra coisa não era de esperar de um demagogo, populista, digno sucessor do Padre José Agostinho de Macedo.
  • Teresa Pinto
    19 fev, 2018 Porto 19:05
    Rio tem muito trabalho pela frente para unir o partido.Mas será que quer? O caso da mulher Elina diz, ou Rui anda distraído ou um sinal do seu veneno a vir trilhar caminho.Assim não Rio não vais lá.
  • João Lopes
    19 fev, 2018 Viseu 16:19
    De Rui Rio, não há que esperar grande futuro, nem para o PSD nem para o País, porque é um homem defensor do aborto e da eutanásia. Se uma pessoa não defende a vida em todas as circunstância, defende o quê? Quem defende a vida defende a humanidade! Rui Rio não é fiável…
  • benjamin steinberg
    19 fev, 2018 porto 16:01
    Bem, o sr. Raposo não votar no PSD, vai fazer tanta falta com a srª Paula Teixeira da Cruz... Pois que seja feliz no PP que a nós, SOCIAIS-DEMOCRATAS do PSD, não fará falta alguma. Das suas "enormes" prestações públicas, recordo-me daquela no programa "Olhos nos Olhos" que, de tão boa que foi...nunca mais pôs lá os pés!
  • Rui
    19 fev, 2018 Lisboa 15:51
    Votar PSD ou cds continua igual não existe substância que verdadeiramente destinga os dois partidos.
  • ó mario
    19 fev, 2018 lis 12:09
    Cura-te!
  • São Rosas Senhor
    19 fev, 2018 Paço 12:08
    Eu não me assumo idiota! Idiotas são aqueles que andam a sofrer uma lavagem cerebral. Tenho um vizinho que tem muitos amigos. Se alguém o chama para vir fazer algum trabalho e no fim do dia lhe dá o ordenado ele diz que não fez mais que a sua obrigação, mas se alguém no fim do dia lhe dá como paga um garrafão de vinho e um maço de tabaco ele diz que é um grande amigo. Ora, se Pedro Passos Coelho salvou o país da bancarrota vós dizeis que foi um facista, mas se o Costa vos dá mais cinco euros ao fim do mês fazeis dele um herói! É esse tipo de pessoas que apoiam a esquerda que está no poder. Uma esquerda que vos dá uma migalhas em vez de vos tirar da miséria. Fazeis bem, quanto pior, melhor!
  • claro!
    19 fev, 2018 lx 12:04
    Eu também não voto no CDS!
  • Assumam-se, idiotas
    19 fev, 2018 Lisboa 11:38
    Raposo é um envergonhado de extrema direita. É um dos muitos que minam o PSD, fora do partido e dentro do partido, para que este se torne um partido de extrema direita. Com Passos o partido esteve perto. A unica questão que se coloca é porque é que esta gentinha não queria um partido, um novo partido que se assuma como partido de extrema direita. Sim porque há muita gente de extrema direita que envergonhadamente saltita entre o PSD e o CDS. Esta é mais uma originalidade deste País.
  • Mário
    19 fev, 2018 Maria 11:24
    Afinal ainda há alguém que pensa como eu! Eu também já decidi. Nas próximas eleições votarei CDS! Viva Assunção Cristas. Não podemos ter medo dos marxistas leninistas! A cultura deste país sempre foi de direita. Não existe um verdadeiro socialismo em Portugal. O Doutor Mário Soares percebeu isso muito bem, e o que fez?? Meteu Álvaro Cunhal "no bolso"! Os comunistas em Portugal vão à missa! Imaginem como é isso possível? Então fui pesquisar alguma coisa sobre Rui Rio e então fiquei esclarecido; Rui Rio diz que é AGNÓSTICO!! Um agnóstico é alguém que não sabe o que é! Porque alguém que ainda não compreendeu que existe uma dimensão espiritual no ser humano, só pode ser alguém que anda à deriva! É isso em que se vai transformar o PSD, um barco à deriva prestes a encalhar em qualquer banco de areia! António Costa, já abriste o champanhe??