Tempo
|
A+ / A-

Prisão preventiva para filho que agrediu pai idoso

08 fev, 2018 - 07:31

O homem de 79 anos precisou de tratamento hospitalar. O crime ocorreu a 31 de janeiro.

A+ / A-

Um homem de 49 anos ficou em prisão preventiva por ter agredido o pai, um idoso de 79 anos. O crime ocorreu em Rio de Mouro, concelho de Sintra.

Segundo a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL), o crime ocorreu a 31 de janeiro e o suspeito foi detido e ouvido pelo juiz de instrução criminal na passada segunda-feira.

De acordo com a informação disponível da página da internet da PGDL, o suspeito terá agredido o pai a murro e com cadeiras até estas se partirem com a violência do embate. O idoso precisou de tratamento hospitalar.

Depois de ouvido pelo juiz de instrução criminal, o agressor acabou por ficar e prisão preventiva "por se verificar o concreto perigo de continuação da atividade criminosa", indica a PGDL.

A investigação prossegue sob a direção do Ministério Público da 5.ª Secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Sintra.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 16% das pessoas com mais de 60 anos sejam vítimas de maus-tratos em todo o mundo.

Segundo os dados divulgados em junho do ano passado, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) registou entre 2013 e 2016 um aumento de 34% nos processos de apoio a idosos, que totalizaram 4.475 casos.

Em 3.612 casos os idosos foram vítimas de crime e de violência, valores que se traduziram em 8.578 factos criminosos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • É, é! justiçadatreta
    08 fev, 2018 algures 12:35
    "Depois de ouvido pelo juiz de instrução criminal, o agressor acabou por ficar e prisão preventiva "por se verificar o concreto perigo de continuação da atividade criminosa" Ou seja, o que reparo aqui, é que ele vai para a prisão não como castigo, mas por ser perigoso como criminoso. Acho muito bem que haja precaução, mas então e o castigo? O que este cão raivoso merecia era ser fechado por muito tempo num quarto escuro e a pão e água. Maltratar assim um pai que o sustentou desde que nasceu e lhe deu uma casa para viver dignamente. Isto é pior que um animal irracional. É a vergonha da humanidade! Pois é justiça da trampa é, mas também neste caso, como o de outros. Fecha-se este animal na cadeia só porque é perigoso? Mas ele está quase cá fora. Depois quem sabe ainda há de matar alguém.
  • Justiça de trampa.
    08 fev, 2018 Lisboa 09:51
    O filho agrediu o pai uma vez e fica em prisão preventiva. Muito bem, decisão acertada. Há bacanos a dar vezes sem conta carradas de porrada nas mulheres e os senhores Juizes manda-os para casa impedindo-os de se aproximar das mulheres. Muitos a seguir matam-nas. Justiça de trampa.

Destaques V+