Tempo
|
A+ / A-

Autoeuropa. Trabalhadores das empresas fornecedoras também querem creche

23 jan, 2018 - 21:35 • Ana Carrilho

À Renascença, o responsável da Coordenadora das Comissões de Trabalhadores do parque da Autoeuropa mostra-se defende que tem de haver igualdade.

A+ / A-

Os trabalhadores das empresas do parque da Autoeuropa, fornecedoras da fábrica da Volkswagen, também querem apoios para porem os seus filhos na creche enquanto trabalham ao sábado.

À Renascença, o responsável da Coordenadora das Comissões de Trabalhadores do parque mostra-se satisfeito por os funcionários da Autoeuropa terem conseguido um apoio da segurança Social que tinham reivindicado. Mas avisa que tem que haver igualdade.

Afinal, os trabalhadores das outras empresas do parque terão que trabalhar ao sábado por causa da Autoeuropa.

“É com alguma satisfação que vejo isso para os trabalhadores da Autoeuropa, mas também me preocupa que estejam aí incluídos os trabalhadores do parque industrial. Estamos a falar de mais de três mil trabalhadores”, defende Daniel Bernardino.

Os trabalhadores do parque industrial vão pedir ao Governo que os trabalhadores possam ter creches para os seus filhos, aos sábados. O pedido de audiência será feito quarta-feira.

De acordo com fonte governamental citada pela agência Lusa, a Segurança Social já identificou as vagas em instituições particulares de solidariedade social (IPSS) onde os trabalhadores da Autoeuropa poderão deixar os filhos nos sábados de trabalho, garantindo o pagamento das creches nesses dias.

Os detalhes sobre o apoio aos casais com filhos que trabalham na fábrica da Volkswagen de Palmela serão discutidos numa reunião que se realiza esta quarta-feira entre os serviços da Segurança Social e os recursos humanos da Autoeuropa.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • maria
    24 jan, 2018 Setúbal 11:24
    São todos uns chulos e o pior é de barriga cheia. sou de Setúbal mas era bem feito que a autoeuropa fosse embora, quando iam trabalhar aos sábados antigamente onde deixavam os filhos? então os casais que são médicos, enfermeiros empregados de supermercados e por ai fora que trabalham aos sábados também têm direito a creches?muitos de vocês estão de folga e os putos estão em casa sozinhos agora querem creches, tenham mas é vergonha e segurem o vosso posto MULAS
  • DR XICO
    24 jan, 2018 LISBOA 11:07
    Já agora tb uma parque de feiras aos sabados, uma roda gigante, frangos assados para todos e vinho verde é no minimo o que merecem os empregados da Autoeuropa e vencimento a dobrar de semana por irem trabalhar aos sabados.
  • pois, pois!!!!!
    24 jan, 2018 do cimitério 10:30
    Oh Paulo santos a inteligencia de vocês parece que não dá para mais. Sempre com a mania da comparação. Ah sim ,vês a Hungria? Já agora porque não falas também na china, de todos os países subdesenvolvidos? Então na tua lógica estes trabalhadores deviam era de estar ao nível dos países que ganhem menos? Então porque não fazes a comparação com aqueles países onde se ganham dez vez mais do que se ganha neste país pobrezinho, que caminha cada vez mais só para um país de velhos e moribundos sem dinheiro para os remédios quando estiverem doentes? É com estas comparações de mer@, de gente pouco inteligente, desde de 74, que andam em cargos políticos, que chegamos a este ponto. Porque não comparas o salário minimo em portugal com espanha, um país logo ali ao lado, onde até a gasolina ainda fica muitas vezes mais barata do que neste país pobrezinho? Tens os salários dos mais baixos desta uniãoeurotreta, dispensamos o escudo, e para quê? Para vivermos muiiiiiiito piores, hoje paga-se produtos a três vezes mais enquanto que os salários ainda estão ao nível do escudo. É claro a tua inteligência não enxerga isto. Coitadinho, deves ser muito reduzido de vistas, e não só....Então o que é que queres? Um trabalhador que ganhe acima de 1000 euros tem que aceitar tudo, porque nos países mais pobres ganhem menos? É mesmo por isso que o futuro deste país é a miséria cada vez mais. Com gente a pensar como tu, para que te quero democracia? S forem para o desemprego, o gv que lhes dê o rendimento
  • paulo santos
    24 jan, 2018 Linda-a-velha 03:58
    Os trabalhadores da Autoeuropa, na area da producao, recebem em media 1300 euros/mes. Os mesmos trabalhadores na Hungria e na Polonia recebem perto de 900 euros/mes. A administracao da Volkswagen nao ira reivindicar as exigencias dos camaradas do PCP e restante lixo organico. Na minha opiniao, os camaradas do BE, PCP e restante excumalha, irao encerrar a Autoeuropa e mudar par outro pais !
  • José Ramos
    24 jan, 2018 Lisboa 00:03
    Trabalhar aos sábados, claro e depois, trabalhei sábados e domingos quando era necessário e nunca senti qualquer prejuízo familiar. Esta atitude pequeno burguesa sem sentido incomoda-me é frustrante. Se não querem deem o lugar a outros.
  • antonio
    23 jan, 2018 lisboa 22:02
    Para uns tudo , para outros nada .Está criada , assim a classe dos operários ricos. Talvez se possa arranjar uma " nanny" caso o programa da sic acabe!!!!!!!!!!
  • IGUALDADE DIREITOS
    23 jan, 2018 Lx 21:54
    Quando se cede aos outros por cobardia politica, com razão, outros exigem e fazem bem pois somos todos iguais perante a lei...Assim se vê a força da geringonça amiga.