Tempo
|
A+ / A-

PJ confirma mão criminosa no incêndio no Pinhal de Leiria

22 jan, 2018 - 16:59

Os dois incêndios que devastaram 86% do Pinhal de Leiria foram provocados por "mão criminosa".

A+ / A-
"O pinhal de Leiria já era"
"O pinhal de Leiria já era"

Os dois incêndios que a 15 de Outubro de 2017 devastaram 86% do Pinhal de Leiria tiveram "mão criminosa", disse fonte da Polícia Judiciária (PJ) de Leiria, adiantando que a investigação ainda não terminou.

Em declarações à Lusa, a fonte da PJ de Leiria não adiantou detalhes sobre o método usado para atear os incêndios que destruíram a grande maioria daquela mancha florestal, frisando que a investigação se mantém e que o inquérito "ainda não terminou".

No sábado, o jornal "Expresso" afirmava que num dos incêndios do pinhal de Leiria "foi usado um engenho artesanal para atear o fogo", embora os investigadores não tenham ainda conseguido identificar os autores.

Estes incêndios destruíram mais de 80% do Pinhal do Leiria, naquele que foi considerado o pior dia do ano de 2017 em fogos.

Neste dia e no seguinte morreram 45 pessoas vítimas dos incêndios florestais que atingiram sobretudo a região Centro.

O "Expresso" afirmava igualmente que os fogos que nesses dias deflagraram no distrito da Guarda foram resultados de queimadas iniciadas por dois pastores locais.

Por outro lado, na quinta-feira, o investigador Paulo Fernandes disse que o fogo que no mesmo dia deflagrou na Lousã, no distrito de Coimbra, teve origem num “acidente eléctrico”.

Um pinhal descontínuo

O ministro da Agricultura esteve esta segunda-feira na Manhã da Renascença e garantiu que o pinheiro vai ser a árvore dominante no Pinhal de Leiria, mas de forma descontinuada.

“Será fundamentalmente um pinhal, porque ali a mata tem de ter uma função de fixação das dunas, que esteve aliás na sua génese, mas iremos procurar que seja um pinhal tão descontínuo quanto possível, intercalando folhosas e espécies resistentes ao fogo”, disse Capoulas Santos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • resta
    22 jan, 2018 pt 19:39
    Apanhar os criminosos e saber politicamente a quem pertencem!
  • resta
    22 jan, 2018 pt 19:39
    Apanhar os criminosos e saber politicamente a quem pertencem!
  • leiria
    22 jan, 2018 lx 19:37
    O feudo dos PSDs!...o diabo vagueia por essas bandas!
  • fanã
    22 jan, 2018 aveiro 18:49
    "coisas do Diabo"????.........................se bem me lembro alguém o convidou !!!!!!!
  • Coisas do diabo
    22 jan, 2018 Lisboa 17:57
    O de Leiria e muitos outros. O diabo foi obrigado a fazer das dele. Agora há que descobrir os criminosos. Não venham dizer que também foi o bêbado e o tolinho lá da terrinha que pôs os fogos. Quem pôs a maior parte dos fogos sabia da poda.