|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Olhão

Cachalote encontrado morto na ilha da Armona

02 jan, 2018 - 14:30

As autoridades admitem que se trate do mesmo animal que foi salvo na segunda-feira na praia de Monte Gordo.

A+ / A-

Foi encontrado morto esta terça-feira um cachalote na ilha da Armona, em Olhão.

O alerta foi dado por pescadores da região, que, pelas 11h00 desta terça-feira, encontraram o corpo do cetáceo numa das praias da ilha da Armona, já sem vida.

"Por volta das 11h00 tivemos o alerta dos pescadores a dizer que estava uma baleia de grande porte na costa da ilha da Armona", relata à Renascença Nunes Ferreira, da capitania do Porto de Olhão.

Verificando-se que o cachalote estava sem vida, e face às boas condições atmosféricas e a subida da maré, procedeu-se à retirada do animal de 10,5 toneladas, que será incinerado depois de serem avaliadas as causas da sua morte.

As autoridades no local admitem que se trate do mesmo animal que foi salvo na segunda-feira na praia de Monte Gordo. "Tudo indica que será o cachalote que apareceu ontem em Monte Gordo", acredita Lídia Nicolau, da Sociedade Portuguesa Vida Animal. “[Ontem] tentamos reflutuá-lo e ver se ele conseguiria eventualmente sobreviver, mas foi encontrado hoje morto, aqui, na ilha da Armona”, relata a bióloga, que, apesar de ter de esperar pela equipa de especialistas que procederá à necrópsia do animal, avança que o facto de o animal ter dado à costa poderia ser já indicador de que algo não estava bem.

Um cachalote encalhou esta segunda-feira na praia de Monte Gordo, no Algarve. O animal foi detectado cerca das 9h00 e pelas 13h20 foi devolvido com vida ao mar.

Cerca de 20 pessoas estiveram envolvidas nos esforços para devolver a baleia ao mar. As operações foram coordenadas pela Polícia Marítima e contaram com o apoio de vários populares e de uma bióloga marinha.

O cachalote tem entre oito e nove metros de comprimento, o mesmo comprimento do animal que foi hoje encontrado em Olhão.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Teresa Marques
    02 jan, 2018 Porto 23:34
    Eu dou mais importância a um animal inocente do que a um ser humano falso como a maioria o é mas se estivermos a falar de crianças inocentes ou deficientes mentais obviamente que também me preocupo com eles porque são inocentes, não se podem defender. Se querem culpar alguém pela situação do homem que padeceu na rua, culpem-se a vós mesmos pois sois vós os culpados do governo que temos e das leis que temos. É com o vosso voto e o vosso consentimento que eles governam. Não se queixem.
  • 02 jan, 2018 21:34
    Que comparação ridícula. Ajudasse você o homem . Mas pessoas como você não devem fazer nada, só criticam.
  • Manuel Simao
    02 jan, 2018 Porto 20:04
    Na autópsia vão encontrar o estômago cheio de sacos plásticos.
  • Maria Fernanda
    02 jan, 2018 Albufeira 17:42
    Uma tristeza que tenham passado mais de uma dezena de pessoas por um sem-abrigo em Gaia, e ninguém se tenha apercebido que o pobre homem estava morto! Dá-se mais importância a um animal que a um ser humano, também não admira quando temos políticos que dizem "uma pessoa humana"!
  • José Santos
    02 jan, 2018 Alfragide 16:07
    Parecia óbvio que isto ia acontecer - um animal destes só dá à costa em grandes tempestades ou quando está moribundo. Mais estranho foi ter lá estado ontem uma veterinária! Foi naturalmente um trabalho inglório e que teve custos inúteis.
  • melough
    02 jan, 2018 faro 15:13
    A vida é assim mesmo.....acaba sempre mal...
  • cardoso
    02 jan, 2018 seixal 15:02
    O PROBLEMA É QUE QUAL EMBARCAÇÃO DISPÕE DE SISTEMAS ELECTRÓNICOS QUE PODEM PETURBAR A HORIENTAÇÃO DESTES ANIMAIS. ESTOU A REFERIR-ME MAIS ESPECIFICAMENTE AOS S.O.N.A.R.