|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Ano Novo com menos mortos e menos acidentes na estrada

02 jan, 2018 - 08:23

“Em todos os parâmetros, os números estão abaixo do que se verificou em 2016”, diz a GNR à Renascença.

A+ / A-

Três mortos e sete feridos graves em quase 639 acidentes é o balanço mais recente da operação Ano Novo da GNR.

“Desde sexta-feira, a Guarda Nacional Republicana registou 639 acidentes (menos 303 do que em 2016), três vítimas mortais (menos 4); ao nível dos feridos graves, registámos sete (menos 11 do que em igual período de 2016) e nos feridos leves registámos 258, menos 21 do que em 2016”, indica à Renascença o tenente-coronel Jorge Amado.

“Portanto, neste momento, em todos os parâmetros os números estão abaixo do que se verificou” no ano passado, frisa.

O balanço é ainda provisório, porque falta incluir o dia de hoje, 2 de Janeiro. A operação termina à meia-noite e na segunda-feira, primeiro dia do ano, a GNR não registou qualquer vítima mortal.

Contudo, na área de actuação da PSP – e, portanto, fora da contagem da GNR – um jovem morreu atropelado na Maia, na segunda-feira à tarde. A vítima era José Amorim, capitão da equipa de juniores de Ermesinde.

O patrulhamento rodoviário da GNR incidiu nas vias de maior tráfego, com o objectivo de “prevenir a sinistralidade rodoviária, garantir a fluidez do tráfego e apoiar todos os utentes das vias, no sentido de lhes proporcionar uma deslocação em segurança”.

Operação Ano Novo. Cinco conselhos da GNR para quem anda na estrada
Operação Ano Novo. Cinco conselhos da GNR para quem anda na estrada
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.