|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

Da Capa à Contracapa
Os grandes temas da actualidade em debate aos sábados, às 9h30. Uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.
A+ / A-
Arquivo
Da Capa à Contracapa - Crentes e não crentes - 23/12/2017
Da Capa à Contracapa - Crentes e não crentes - 23/12/2017

Da Capa à contracapa

O que inquieta crentes e não crentes?

23 dez, 2017


Neste tempo de Natal, as perguntas são dirigidas aos convidados padre Alexandre Palma e jornalista Henrique Monteiro.

Em tempo de celebração cristã, procuramos este sábado perceber que tipo de questões inquietam hoje, no seu dia-a-dia, crentes e não crentes.

O Papa pede-nos inquietude permanente. Foi o que pediu em 2013, em Roma, perante religiosos da congregação Agostiniana, lembrando a conversão de Santo Agostinho.

“Tu nos fizeste para ti e o nosso coração está inquieto enquanto não repousar em ti”, foi a frase de Santo Agostinho que inspiraram Francisco.

“Agostinho vive uma experiência comum nos dias de hoje, comum entre os jovens de hoje: foi educado pela mãe Mónica na fé cristã, mesmo se não recebe o baptismo, mas, crescendo, distancia-se, não encontra nela a resposta às suas perguntas, aos desejos do seu coração, e é atraído por outras propostas”.

O que distingue e aproxima crentes e não crentes, o que os inquieta é o tema do Capa à Contracapa deste sábado, para o qual foram convidados o padre Alexandre Palma, professor de Teologia da Universidade Católica e padre do Patriarcado de Lisboa,

e o jornalista Henrique Monteiro, antigo director do “Expresso”, comentador habitual da Renascença.

Este programa é feito em parceria com a Fundação Francisco Manuel dos Santos para debater a sociedade e promover o debate livre.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.