Tempo
|
A+ / A-

Matosinhos desliga rega dos jardins em tempo de seca extrema

22 nov, 2017 - 00:54

Autarca afirma que, "felizmente", o concelho não tem sentido os efeitos da seca, mas poupar água é uma tarefa de todos.

A+ / A-

Veja também:


A Câmara de Matosinhos, no distrito do Porto, decidiu desligar a rega automática dos jardins para poupar água e fazer face à situação de seca que se vive no país, anunciou a presidente da autarquia.

Durante a reunião pública do executivo municipal, Luísa Salgueiro referiu que nos locais onde a rega é imprescindível essa está a ser feita com recurso à água de um riacho subterrâneo, ou seja, sem recurso ao abastecimento público.

Além disso, a autarca socialista adiantou que as fontes funcionam em circuito fechado, não consumindo água de consumo público.

Luísa Salgueiro vincou que, "felizmente", o concelho não tem sentido os efeitos da seca, mas poupar água é uma tarefa de todos e é para o bem de todos, daí estas primeiras medidas.

"Apelo à população que faça poupança de água e que nos acompanhe nesta campanha", afirmou.

De acordo com o índice meteorológico de seca do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a 15 de Novembro, verificou-se um aumento da área em situação de seca extrema em todo o território de Portugal Continental.

Segundo o IPMA, a 15 de Novembro cerca de 6% do território estava em seca severa e 94% em seca extrema.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.