Tempo
|
A+ / A-

Bastonário avisa: ministro vai ter de escolher se quer uma saúde com ou sem médicos

08 nov, 2017 - 17:38

Miguel Guimarães admite abandonar o Conselho Nacional de Saúde.

A+ / A-
Bastonário avisa: ministro vai ter de escolher se quer uma saúde com ou sem médicos
Bastonário avisa: ministro vai ter de escolher se quer uma saúde com ou sem médicos

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, avisou, esta quarta-fera, o ministro da Saúde de que vai ter de escolher se quer uma saúde com médicos ou sem médicos, admitindo ainda abandonar o Conselho Nacional de Saúde (CNS).

Em causa está o pedido da Ordem dos Médicos para que o presidente do CNS se demita, na sequência de declarações que fez sobre a transferência de trabalho dos médicos para outros profissionais de saúde.

"O senhor ministro vai ter de escolher, e é uma decisão séria, se vai querer ter uma saúde com os médicos ou sem os médicos", afirmou Miguel Guimarães aos jornalistas numa conferência de imprensa, em Lisboa.

"Está nas mãos do ministro da Saúde aceitar ou não o pedido de demissão", acrescentou.

Questionado sobre a sua posição no caso de o presidente do CNS, Jorge Simões, se manter no cargo, Miguel Guimarães admite a possibilidade de a Ordem vir a abandonar aquele órgão consultivo do Governo.

O bastonário refere que tem respeito pela opinião das pessoas, mas indica que as declarações de Jorge Simões foram feitas na qualidade de presidente do CNS, envolvendo todas as instituições que compõem o Conselho, nas quais se inclui a Ordem dos Médicos.

"Os médicos estão completamente revoltados e isto não tem nada a ver com a questão da greve, é muito pior do que a questão da greve", comentou o bastonário.

Para Miguel Guimarães, as ideias defendidas por Jorge Simões são "uma situação grave", que configura "uma política contra os doentes e contra a qualidade da medicina".

O bastonário rejeita qualquer acusação de partidarização ou politização desta questão, lembrando que a Ordem dos Médicos "tem por função defender os doentes e a qualidade da medicina" e "não pode aceitar políticas que sejam contra os doentes".

O bastonário refere que os "médicos estão insatisfeitos com esta situação" e que "não aceitam estudar e ter conhecimentos para ter competência numa área para depois vir uma pessoa sem experiência nenhuma no terreno dizer o que [Jorge Simões] disse", comentou.

Em dia de greve nacional de médicos, o representante da classe considera que as declarações do presidente do CNS "servem perfeitamente para justificar uma adesão em massa e até para ir mais longe".

"Há muitas formas de ir mais longe", acrescentou, sem especificar.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António Santos
    13 nov, 2017 Coimbra 21:44
    Gostava de ver o Bastonário da Ordem de Médicos, ter um gesto de honradez (palavra que deve desconhecer) e denunciar os seus pares e colocá-los na ordem, para deixarem de emitir baixas e atestados médicos falsos!!!!
  • ao rc victor
    09 nov, 2017 Pt 15:37
    Deve estar a ver ao espelho a famiglia politica a que pertence!...Já tivemos 4 anos sufocados com uma maioria do quero posso e mando e com deputados a darem-lhe o aval com obediência! Basta! Antes uma geringonça que funciona do que uma caranguejola a andar para trás, décadas!
  • RC Victor
    08 nov, 2017 Lx 18:57
    A democracia desta esquerda e apoiantes é: 'ou se está com o novo prec e a revolução ou se está com a reacção'. Opinar contra a geringonça é estar polarizado mesmo que sejam verdades do mais evidente, qual Venezuela e Coreia do Norte!
  • DOENTE
    08 nov, 2017 CAMA 18:46
    Sr.Bastonario, desde os anos anteriores a 60, convivo com Médicos. Tenho o mais puro respeito e a maior consideração pelos Médicos. Mas, por vezes , apetecia dizer-lhes umas certas verdades, mas... Se o Médico não tem tempo para cuidar BEM do Doente como pode o SENHOR e seus PARES ficarem de braços cruzados e calados, quando vimos Médicos a enveredar pela Política e afins? Apenas para o Sr. ficar a saber já disse várias vezes ao M/Médico que, entrando em vigor, sou VOLUNTÁRIO PRIMEIRO, da EUTANÁSIA, pode crer que estou a dizer isto com convicção. NÃO BRINQUEM COM OS DOENTES.
  • portugues
    08 nov, 2017 portugal 18:17
    Isto não são palavras dignas de um bastonário.
  • João Lopes
    08 nov, 2017 Viseu 18:03
    Com o atual governo social-comunista a produtividade diminuiu, os impostos indiretos são enormes, a dívida externa aumenta, as cativações selvagens deterioram o serviço público, especialmente no SNS, onde o atraso nas consultas e nas operações, deixa ao abandono e desprotegidos os mais pobres. O País não vai por bom caminho!
  • se tem respeito
    08 nov, 2017 port 17:49
    mostre na pratica e não deve fazer ultimatos!...este comportamento é precisamente o contrario do que diz defender!
  • Talvez
    08 nov, 2017 lis 17:45
    uma saúde com médicos mas com um bastonário apolitico!...este bastonário mete muito a mão na politica!