Tempo
|
A+ / A-

“Dois quilómetros e meio de camiões cisterna por dia” levam água a Viseu

30 out, 2017 - 12:00

Presidente da Câmara de Viseu lamenta falta de investimento do Governo nos recursos hídricos e avança medidas para “prevenir o próximo Verão”.

A+ / A-

Arranca esta segunda-feira, em Viseu, uma megaoperação de compra e transporte de água para abastecer as populações de quatro concelhos do distrito. “Essa operação significa dois quilómetros e meio de camiões cisterna por dia a transportarem 3.300 metros cúbicos”, indica o presidente da Câmara.

Todos os dias, 27 camiões cisternas vão disponibilizar água aos munícipes de Viseu, Mangualde, Nelas e Penalva do Castelo. Isto, para evitar o consumo de água da barragem de Fagilde, que serve as populações de Nelas e Mangualde.

Os vários metros cúbicos de água “vêm de locais aqui à volta, uns mais longe outros mais perto: uma água vem de Tondela, outra de Trancoso, outra de Caparrosa. São cerca de cinco pontos onde vamos buscar essa água e depois distribuímos por diferentes pontos no concelho. No fundo, isto visa reduzir o consumo de água da barragem para continuarmos a poder fornecer Nelas e Mangualde”, explica o presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, na Manhã da Renascença.

O autarca lamenta também a falta de investimento do Governo nos recursos hídricos.

“Se nós tivéssemos instaladas ensecadeiras, que seriam da responsabilidade do Estado central, nós poderíamos neste momento estar com mais um milhão e 500 mil metros cúbicos de água na albufeira, o que nos permitira aguentar até ao final do ano”, começa por dizer.

“As restrições, os cortes fizeram com que esse investimento fosse adiado. De há três anos a esta parte que eu venho a propor ao Governo, ao anterior e a este, que a Câmara de Viseu faça a obra e que depois deixe de pagar as taxas – que nós pagamos quase 300 mil euros por ano à APA [Agência Portuguesa do Ambiente] para podermos utilizar a água da barragem. E a verdade é que isso foi sendo adiado”, critica.

“Agora, nesta situação de emergência, parece que finalmente vamos ser autorizados a construir esta ensecadeira, até para prevenir o próximo Verão, e também estamos a tratar do processo de desassoreamento da própria albufeira, porque o desassoreamento mais a colocação da ensecadeira pode-nos permitir armazenar mais dois milhões de metros cúbicos no próximo ano”, avança por fim na Renascença.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Fausto
    31 out, 2017 Lisboa 10:11
    Quanto custa abrir um furo...é quanto custa estes camiões todos...
  • belmonte
    30 out, 2017 portalegre 16:44
    É preciso ter terra ,ar,agua etc adequadas ás culturas,criaçao de animais concentração demografica etc.Estudos conhecidos zero.Alguem já estudou ou previu qual o equilíbrio q deverá existir entre as necessidades básicas a demografia ou qualquer outra atividade incluindo turística?Alguem promoveu a recolha de agua em cisternas dos telhados ou outros declives para uso domestico selecionado e rega?A dessalinização é um recurso viável?Os nossos telhados/coberturas poderiam se apoiadas ser uma das maiores fontes de produçao de energia elétrica ,a quem n convém?ou poderá n ser defensavel ETC
  • Maria Auxiliadora
    30 out, 2017 mensajesdelbuenpastorenoc.org/ 14:02
    Mensagem de apelo urgente de Maria Auxiliadora aos líderes e moradores da TERRA 29 /1/ 2017 Meus filhos: a água está a esgotar-se devido aos abusos que estão a causar aos ecossistemas. Estes abusos irão provocar dias de fome e escassez. Em muitas nações os seus habitantes morrerão de fome e sede. Não desperdiceis água, porque as bacias dos rios estão a secar, assim como suas fontes. Os ecossistemas terrestres e aquáticos são os pulmões da terra. A destruição da floresta e a poluição estão a provocar o aquecimento. As calotes polares estão a fundir-se devido ao aumento da temperatura, o que implica graves consequências para a criação. O clima é controlado pela poluição ambiental e pelo aquecimento global. Isso trará a vós fome e seca. O lado destrutivo do homem está a destruir os ecossistemas. Muitas espécies de fauna e flora estão em perigo; a atmosfera está a enfraquecer e vai chegar o momento em que os raios do sol tornarão inabitáveis muitos lugares na terra. Os recursos naturais estão a esgotar-se. Faço um apelo urgente aos habitantes da terra e aos governantes para realizarem planos de reflorestamento e poupança de água e energia. Porque se continuarem a poluir e a desmatar, a terra se tornará num deserto. Governantes deste mundo, das vossas ações para com os ecossistemas dependerá a vida no planeta! Como Mãe da humanidade, eu estou a chamar os habitantes da terra para que não destruam mais recursos naturais e para que promulgar leis que favorecem a vida no planeta.
  • Mario
    30 out, 2017 Portugal 13:25
    A ingenuidade e estupidez colectiva de um povo que acredita nos políticos, mesmo comprovada a sua incapacidade, incompetência e corrupção, ainda existe muitos que acreditam. Realmente temos o que merecemos e que escolhemos, embora haja muitos que ainda sofram as consequenciais da escolha dos estúpidos.....
  • JR
    30 out, 2017 Lisbos, Puto 12:54
    Ganda negócio. Viva Portugal. Viva Salazar.