Tempo
|
A+ / A-

Jesuítas desafiam jovens a reflectirem sobre a doutrina social da Igreja

18 out, 2017 - 12:09 • Ana Lisboa

O “Projecto 18.91” pretende ser um espaço de “estudo e reflexão” sobre áreas como a família, o trabalho, a economia ou a paz.

A+ / A-

O Centro Universitário Padre António Vieira (CUPAV), da Companhia de Jesus, dá início esta quarta-feira ao “Projecto 18.91”. Trata-se de um “curso concentrado de doutrina social da Igreja”.

A ideia surgiu da “necessidade manifestada por vários jovens universitários e trabalhadores de aprofundar o estudo” sobre esta temática.

A partir daí “criou-se uma rede de contactos, de pessoas que estariam interessadas em desenvolver um bocadinho mais a sua fé na sociedade”, terem uma “participação mais activa” e de “diferentes formas”, explica Vasco Cordovil Cardoso, um dos coordenadores desta iniciativa.

Surgiu assim este curso que visa ajudar a perceber “melhor qual é que é a proposta que o Evangelho tem para a vida em sociedade”. Será, no entender deste responsável, “um novo olhar sobre as coisas do país, um novo olhar sobre os problemas que afectam a sociedade do nosso tempo”.

A primeira sessão começa esta quarta-feira com o tema “Ser cristão na sociedade”. Com a ajuda de professores convidados, serão abordados, entre outros, temas como a família, o trabalho, a economia, a ecologia e a paz.

Até Junho do ano que vem, vão ser no total nove sessões, uma por mês, entre as 21h e as 23h15.

O nome do “Projecto 18.91” foi inspirado na data da publicação da Encíclica “Rerum Novarum” do Papa Leão XIII, que se tornou “um pilar fundamental” da doutrina social da Igreja.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+