A+ / A-

Fogos. Marcelo pede "actos" e não "palavras". E vai falar ao país

16 out, 2017 - 14:51

Presidente da República vai falar ao país e visitar áreas afectadas pelos incêndios.

A+ / A-

O Presidente da República só vai falar ao país e visitar as zonas atingidas pelos incêndios deste fim-de-semana quando a situação estabilizar. Num comunicado publicado no site da Presidência, Marcelo Rebelo de Sousa diz que continua a acompanhar a situação dos incêndios em todo o Continente.

“O Chefe de Estado espera a rápida estabilização dos fogos e o balanço da tragédia, e falará depois ao País, bem como irá visitar, ao longo dos dias seguintes, as principais áreas ardidas”, lê-se no comunicado, em que o Presidente também anuncia que cancelou toda a sua agenda prevista para esta semana e admite também cancelar a sua visita aos Açores prevista para a próxima semana.

Marcelo tem visita prevista às ilhas de Santa Maria, São Miguel e Terceira entre os dias 25 e 29 deste mês.

Neste comunicado, o Presidente faz questão de recordar o que disse, no sábado, em Pedrógão Grande, onde participou num encontro promovido pela associação de familiares das vítimas do incêndio de Junho. “O que acabou de suceder só dá razão acrescida à sua intervenção de sábado passado”, diz o comunicado, lembrando que Marcelo nesse dia apelou a uma mudança de ponto de vista “traduzida em actos e não em palavras”.

Nesse discurso, o Presidente falou, pela primeira vez desde a divulgação do relatório da Comissão Técnica Independente e defendeu que já se perdeu muito tempo e é preciso tirar consequências do que se passou.

O relatório da comissão técnica conclui que teria sido possível evitar as mortes de dia 17 de Junho no incêndio de Pedrogão Grande. Para os técnicos, devia ter havido, primeiro, uma disposição diferente de meios no terreno tendo em conta as previsões para aquele dia e, depois, um combate inicial mais forte no início do incêndio.

O relatório da comissão técnica também tece críticas à excessiva presença de políticos e jornalistas nos postos de comando de combate aos incêndios. Por isso, Marcelo Rebelo de Sousa optou por agora não se deslocar aos locais, remetendo essa visita para quando a situação se estabilizar.

Logo nesta madrugada de segunda-feira, o Presidente da República, em declarações por telefone à SIC, disse que será necessário tirar consequências não só do que se passou em Pedrógão Grande, mas também do que se passou neste último fim-de-semana, sobretudo tendo em conta que foram divulgadas há dias as conclusões da comissão técnica independente. Conclusões essas que apontam erros no planeamento, organização e operacionalidade da protecção civil.

Em homenagem das mortes provocadas pelos incêndios que começaram este domingo, foram decretados três dias de luto nacional.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Dias
    17 out, 2017 Lx 00:09
    Sr Presidente, nós os Portugueses também exigimos ao Sr. que tome medidas adequadas e que se justificam ou seja demita o governo, sim porque não se pode falhar e desrespeitar os Portugueses como este governo o tem feito e vir com desculpas que agora sim tem o relatório dos cientistas, então ponha-se os cientistas a governar o Pais. Eleições Sr Presidente pelo menos em respeito pelas cerca de cem vitimas mortais.
  • Zé Contribuinte
    16 out, 2017 inferno Fiscal 22:53
    Acabem com quem lucra directamente e indirectamente , sim porque hoje quem manda no mundo, é um droga que se chama DINHEIRO e a senhora Drª Ganância, com estes actos de terrorismo , sim porque a floresta regenera-se as vidas perdidas, não!, como por exemplo:pasta de papel, madeireiros, as empresas que alugam meios aéreos, as empresas que vendem equipamento aos bombeiros, etc....Acabem com imagens de horror tornado espetaculo para audiências de um sociedade doente à mercê de politicos incompetentes, cegos e talvez corruptos.E vão ver que os incêndios acabam logo.
  • Ads
    16 out, 2017 Paris 21:56
    O povo péde o mesmo au sr presidente actos. Aonde está o dinheiro da dívida Russa? aonde estão os beriev? Aonde estão os tankers da força aérea? Porque será que os portugueses estão au abandono? Governar não é dar migalhas au povo e ser bons en comunicação o que se passa em Portugal? O nosso país está epnotizado pelo pensar único? Aonde estáva o programa de alerta antes de se chegar au colapso? Não é a demissão que o povo quer, o povo quer saber quem é o responsável pelas falhas e vê-lo responder, porque demissionar e ir para casa é um bocadinho fácil demais. Isto é uma vergonha é indescritível a merda que se faz no nosso país.
  • Lv
    16 out, 2017 Lx 21:55
    Tanto bombeiro por aqui no apoio ao EMPLASTRO!
  • Rui
    16 out, 2017 Viseu 21:32
    Mais de 500 incêndios num domingo, mais de 300 numa segunda-feira e vem esta gente da PAF falar de cativacões? Uns 800 incêndios e isto são causas naturais? Uma ova!!! O Passos tinha feito diferente? Aonde? Tinha cortado AINDA MAIS do que fez nos anos da PAF quando liberalizou o eucalipto. Ganhem vergonha! Abutres!
  • maria
    16 out, 2017 lisboa 19:05
    on de anda o PAN e os VERDES ate aqui se pode ver o que valem os partidos de esquerda existem so para comer dinheiro do estado mas o povo adora aldraboes neste governo estao todos aqueles que levaram o pais a banca rota no governo socrates
  • Carlo Gomes
    16 out, 2017 Mação 19:04
    Senhor Presidente espero que se demarque desta governação desastrosa baseada no " negócios fácil" ou seja na mentira e no embalamento do povo com aumentos miseráveis e logo entrar no saque por via indirecta.Se o povo fizesse contas,via que estava a ser enganado. E os encenadores deste sistema perdem todo o tempo a fazer projeções como enganar.Depois não tem tempo para o resto.Pensar na segurança e no bem estar do Povo. Não se deixe arrastar e colar ao momento mais trágico da nossa história recente.Não queira ver-se na história como o Presidente onde o povo foi levado para a morte por incompetência de um governo insensível e sem rumo.A economia não é tudo que um povo sente.Sente muito mais a sua segurança.Por isso o momento impunha um governo de sua iniciativa até concluir esta legislatura. E depois de colocar o País na rota da verdade e humanidade,assim sim é momento para uma nova legislatura. Alguém tem que imprimir uma nova filosofia política ,com honestidade e seriedade, serenidade,humildade.Espero que tenha um sobressalto e assuma o leme deste País.
  • Maria de Deus Cravo
    16 out, 2017 Cantanhede 17:18
    Precisamos de um Governo que governe em vez de andar a fazer propaganda eleitoral. Que discuta o que é sério. Que diga a VERDADE! Sabem o que é isso? Um governo que não diga disparates sobre os bombeiros, que são VOLUNTÁRIOS! Sabem o que é isso? Um governo que NÃO venha dizer às pessoas que isto é normal e que nos temos que habituar! Cambada de imbecis! Só agirão quando LISBOA começar a arder? Tente perceber Sr. Primeiro Ministro ,o que é ser Sério e trabalhar para bem do país e não do seu partido. Acha que consegue? Pare de falar e de dizer disparates e mostre trabalho? Pedrógão não lhe chegou?
  • COSTA ILUSIONISTA
    16 out, 2017 Lx 17:06
    Costa e a menina Constnaça rabugenta está chamuscada pelos fogos....Sem resposta o governo e apenas desculpas espúrias e esfarrapadas. O costume com os kamradas Kosta e a sua tralha socrática que nos levou em 2011 à bancarrota...A bancarrota aproxima-se kamaradas pois a distribuição ao pagode tem sido mais do que muito e sem termos dinheiro para isso. O Professor Daniel Bessa falou em 500 anos para pagar a dívida pública com um superavit orçamental anual de 500 milhões de euros... Como dizia o José Sócrates das notas em envelopes, a dívida não se paga, gere-se...É só ris este país da treta, peta e da teta...
  • Leonardo
    16 out, 2017 Massamá 16:50
    Apelo ao Presidente da República Portuguesa Professor Marcelo Rebelo de Sousa que convoque para o combate, investigação e prevenção dos incêndios as Forças Armadas Portuguesas de que é Chefe Supremo, é tempo de acabar com o negócios do fogo Sr. Presidente.