|
A+ / A-

"Este não é tempo de demissões, é tempo de soluções", diz Costa

16 out, 2017 - 20:17

Depois de nova tragédia na floresta portuguesa, o primeiro-ministro conclui: "Depois deste ano nada pode ficar como antes." A ministra da Administração Interna fica.

A+ / A-
Soluções, reformas, penalizações e solidariedade. A declaração de Costa em quatro pontos
Soluções, reformas, penalizações e solidariedade. A declaração de Costa em quatro pontos

O primeiro-ministro diz que, "depois deste ano, nada porde ficar como antes" na prevenção e combate aos incêndios florestias, mas recusou falar de demissões de membros do Governo. Agora, disse António Costa, "não é tempo de demissões, é tempo de soluções".

Numa conferência de imprensa, esta segunda-feira à noite, António Costa, que se apresentou de gravata preta, comprometeu-se a si e ao seu Governo na tomada de medidas para evitar que estes cenários se repitam, nomeadamente na reforma florestal que foi aprovada em Junho e na aplicação das conclusões do relatório da Comissão Técnica Independente que foi criada após os incêndios de Pedrógão Grande.

O primeiro-ministro começou o seu discurso com um balanço dos incêndios de domingo e de segunda-feira, garantindo que não faltará solidariedade para as vítimas que tudo perderam nas chamas que lavraram, e nalguns casos ainda lavram, em vários pontos do país.

Agradeceu ainda a todos os envolvidos no combate às chamas, nomeadamente os bombeiros, militares, membros da protecção civil e também aos autarcas que foram, nas suas palavras, "incansáveis". Em resposta a perguntas dos jornalistas, o chefe do Governo recordou que o mecanismo extrajudicial que foi criado para indemnizar as vítimas de Pedrógão podem ser alargadas a vítimas de incêndios noutros pontos do país.

António Costa recordou que depois de Pedrógão Grande gerou-se um consenso político sobre a criação de uma comissão técnica independente e espera que esse consenso se mantenha agora na aprovação das medidas que traduzirão as conclusões do relatório e a reforma florestal. "Esperamos que as conclusões da Comissão Técnica Independente sejam terreno fértil para um consenso alargado em torno das medidas a tomar", disse.

Os incêndios que começaram no domingo, dia 15 de Outubro, e se mantêm em vários pontos do país já fizeram pelo menos 36 mortos, havendo informação da existência de 63 feridos, 16 dos quais em estado grave.

Esta é a segunda tragédia causada por incêndios no espaço de poucos meses em Portugal. Em Junho 64 pessoas morreram devido ao incêndio que começou em Pedrógão Grande. Na altura a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa insistiu que não iria demitir-se, tendo reafirmado a sua posição aquando da publicação de um relatório independente sobre o desastre, que apontou várias falhas a nível de organização e comunicação.

No último "briefing", feito às 19h30 desta segunda-feira, Patrícia Gaspar, da Protecção Civil, disse que havia ainda 47 incêndios activos sendo 26 de importância elevada. O destaque vai para o incêndio da Lousã, que mobiliza mais de 720 operacionais.


A Renascença transmitiu em directo, no Facebook, a conferência de imprensa ao país de António Costa

O primeiro-ministro, António Costa, fala ao país sobre os incêndios de domingo. Veja em directo a declaração prevista para as 20h15. #incendios #fogospt #PrayForPortugal

Posted by Renascença on Monday, October 16, 2017
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Helena Matos
    19 out, 2017 Coimbra 00:01
    Tem razão, Alberto Sousa: haver demissões apenas porque, devido à falta de visão e de antecipação, negligência e incompetência dos serviços dependentes do MAI, este verão se saldou por mais de uma centena de vítimas mortais e outros tantos feridos, milhares de animais mortos e centenas de habitaçõpes ardidas também não me parece razão suficiente para demitir ninguém. Era o q faltava! Já a demissão de um Sec. de Estado, como no tempo de Santana Lopes, isso sim, é motivo mais q válido para pôr o governo todo a andar, como fez Sampaio.
  • Victor
    17 out, 2017 Lx 11:54
    Costa mostrou o carácter e ao que está, e o BE/PCP aí estão escondidos e calados que nem ratos e não é necessário dizer muito mais... a falta de respeito e o desprezo pelas vitimas, seus familiares e todos os que perderam os seus bens e possivelmente os empregos vale menos para esta gente do que satisfazer as clientelas já conhecidas. É isto que nos governa.
  • João
    17 out, 2017 Lisboa 11:21
    O mais triste é ver os lambe-botas tão lestos na defesa destes incompetentes! Sempre me ensinaram que quanto maior o posto, maior a responsabilidade, algo que não se aplica a estes "deuses do Olímpio". Mais triste são os diversos argumentos, estéreis, em que acusam tudo e todos, mas NUNCA quem tem o dever de agir, penar, coordenar e mandar executar! Chegamos ao ponto em que se lançam vistos de desinformação. Num país civilizado estes monos já teriam pedido a demissão, por cá quanto mais incapaz, mais admiradores vemos. Não se queixem os infantis acéfalos que os apoiam, recolhem o semeiam!
  • Helena Matos
    17 out, 2017 Coimbra 11:08
    Em agosto de 2013, quando se registaram mais de 7 mil incêndios, morreram nove pessoas, oito bombeiros e um civil. O número de incêndios este ano foi, felizmente, bem menor, mas a devastação a nível de vítimas saldou-se por mais de uma centena. Quase todos civis. Todos nos recordamos do modo como o PS e os restantes partidos da oposição se comportaram na altura: pediram a queda de todo o governo q nao tinha sabido defender quem luta no combate aos incêndios, q não tinha alocado os meios suficientes, que era tudo uma incompetência de fio a pavio. Desta vez Costa, a ministra e o secretário de estado dizem o q dizem (que nos safemos q tratemos de nos defender pq a coisa vai continuar a ser assim) e os amigos e partidários do governo ficam calados, ou pior, defendem os procedimentos e insistem na tónica dos incendiários. Incendiários sempre houve, pq, infelizmente, gente negligente, sem escrúpulos ou criminosa houve sempre e continuará a haver. O que se pede ao Estado é que nos defenda deles ou que, pelo menos, miniminize os males que provocam. E o que o Estado nao soube fazer foi defender as populações, como lhe competia, Por incompetência, por má avaliação (sabiam q não podiam aligeirar os meios de combate aos fogos), por dessorganização na cadeia de comandos, com os serviços do MAI a falharem em toda a linha e a fugirem cada um para seu lado na assunção de responsabilidades. E a falta de decoro, para não dizer de vergonha, passa por nem sequer admitirem q falharam.
  • Por todos
    17 out, 2017 Portugal 10:12
    Só comentadores e inteligentes, com tantos inteligentes em Portugal como não se conseguiu prevenir ? E a Câmaras deste país não tem culpa? Existe uma lei que obriga a limpar, PORQUE NÃO SE CUMPRE? Será que só nos lembramos na hora da aflição? Lamento e os meus sentidos pesamos às famílias, mas pode ser com esta catástrofe as pessoas aprendam a limpar as matas. Porque por muito que se estude, o problema é só um FALTA DE LIMPEZA, quem tem matas que as limpe, se não tem capacidade financeira ou física para limpar que a venda, existe muitas pessoas que as mantinham limpas, agora vermos casas rodeadas de mato, árvores e feno, se houver um incêndio sujeitam-se a que a casa arda. Se as matas estivesse limpas não existiam tantos incêndios, mas se não houver incêndios, não se movimenta muitos milhões.
  • Maria
    17 out, 2017 madrid 07:52
    Uma vergonha! Uma falta de responsabilidade! Trata-se de manter o poder à custa da vida de tanta gente..."passe o que, nao há demissoes" ainda que a incompetencia ultrapasse todos os limites do minimamente aceitável... Na Galiza sairam às ruas millares para manifestar-se a um governo incapaz de "impedir" a morte de 4 vitimas... Em Portugal, este Verao, já somam 100 vítimas... e o governo insiste em continuar, olhos vendados e coraçao fechado à dor e sofrimento de tantas perdas...
  • Frederico
    17 out, 2017 Lisboa 05:12
    Uma vergonha a postura deste senhor e do seu sequito. Mau de mais para ser verdade o que este senhor, com elevadas responsabilidades no passado sobre estes assuntos, fez e vai continuar a fazer. Quem tem cabeca para pensar sabe bem o que foi o seu legado na CML, a tal que nunca abandonaria por ter sido eleito, e depois foi logo atras do poder sem o ser. Uma veregonha o que o PS tem e vai continuar a fazer ao pais, pena que a maioria da populacao seja cega a estas coisas. Ninguem fala dos milhares de animais mortos pelo fogo, sao muitos milhares; como ser HUMANO isto revolta ao extremo. Um verdadeiro HOMEM já se tinha demitido com o peso dos mortos nas suas costas.
  • Marco Lopes
    17 out, 2017 Setúbal 00:58
    DEMITA-SE Primeiro-ministo! Não seja cínico e hipócrita! A responsabilidade politica recai sobre vós! Sempre com demagogia e a gozar com quem sofre! Tenha vergonha! Larguem os tachos a que estão agarrados que nem lapas! Nem sabe o que é estar a ver o que é seu a arder pois tem quem o proteja! E caso algo aconteça o estado paga-lhe com o dinheiro dos contribuintes! As medidas que tem tomado relativamente ás ordens que dá à justiça para manter os níveis de população prisional na média comunitária.... A falta de meios existentes... A falta de homens e preparação efectiva! Deixe-se de palhaçadas! Dà nojo gente como vós que nada fazem e ainda gozam com isto! DEMITA-SE TENHA VERGONHA
  • Agostinho v Couto
    16 out, 2017 USA 23:34
    Este ,,espantalho ,,se calhar nem para isso serve tenta levar as pessoas por ,,parvos ou estupidos ,,alguns talvez o sejam ,,aqueles que nele acreditam e que nele votaram ,,talvez alguns fossem enganados ,, mas nao todos ,, e isso vui-se a uns dias atraz ,,pena e que paga ,,o justo pelo pecador ,, ,,mas brevemente sera ,,endeusado por muitos ,,fanaticos que em poucas horas esquecerao ,,tudo o que se passou o que se passa e o que futuramente se ira passar ,, por fim ,,tres dias de luto nacional , para lembrar a falta de responsabilidade destes ,,fantocheiros que se agarraram ao poder , e nao teem conciencia do mal que estao a fazer ao pais ,,so pensam no dinheiro ,,na fama ,,na fortuna
  • Nuno
    16 out, 2017 Lx 23:32
    Mau de mais. Sem contexto! Sem desculpas! Sem soluções! Sem emoção! Sem razão! Sem humildade!...ao lado de uma dona de casa perdida! Triste! Que abdica de ferias ...e as pessoas que abdicam de vidas...minha cara senhora...vergonha. Numa estrutura corrupta, corrumpida por boys com tachos na proteção civil!, incompetentes! Presidente demita este governo...nao ha um ministro que se aproveite, porra!