|
A+ / A-

D. Jorge Ortiga sobre os incêndios: "Não nos poderemos contentar com relatórios"

16 out, 2017 - 15:10

O arcebispo de Braga detecta que "falta vontade" para discutir a fundo o problema e relata, também, a aflição vivida na cidade de Braga, na noite de domingo.

A+ / A-

O arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, diz que é hora de dizer "basta", face à calamidade dos incêndios florestais.

"Não nos poderemos contentar com relatórios", diz o arcebispo à Renascença, sugerindo maior reflexão sobre a solução para o problema: "Sem chegarmos a um consenso, sem pormos o Governo, as autarquias e até a população a reflectir e a pensar, no sentido de encontrar soluções, não chegaremos a lado nenhum."

D. Jorge Ortiga considera que "falta vontade" para discutir este problema.

Sobre as condições de sustentabilidade da ministra da Administração Interna no cargo, o arcebispo de Braga não valoriza o assunto, sublinhando, antes que é "imperioso e urgente" que "efectivamente, as diversas instâncias procurem em comum encontrar soluções".

Situação "dramática" em Braga

Em Braga, as chamas consumiram, na noite de domingo, zonas de mato junto ao Santuário do Sameiro. No Bom Jesus, o fogo "não avançou porque a mata estava devidamente limpa e os próprios funcionários do santuário puseram mãos à obra - com um tractor, com água".

D. Jorge Ortiga diz que os hotéis da zona, que servem estes locais de culto, estavam "cheios de gente" e as pessoas que estavam nas imediações do Sameiro tiverem de dormir na cripta.

"Foi uma situação caótica, dramática", conclui o arcebispo de Braga.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • eduardo santos
    16 out, 2017 fátima 19:26
    A tragédia dos fogos em Portugal é demasiado séria. Convinha que a Igreja se fizesse ouvir no seu "todo" e não apenas um dos bispos, embora honra lhe seja feita.