Tempo
|
A+ / A-

CDS-PP reúne Comissão Executiva em Pedrógão Grande para analisar relatório técnico

14 out, 2017 - 14:37

O relatório aponta vários responsáveis pela tragédia que deixou 64 mortos nos incêndios de Pedrógão Grande.

A+ / A-

O CDS-PP vai reunir a sua Comissão Executiva na quarta-feira, em Pedrógão Grande, para analisar o relatório técnico independente sobre o fogo que deflagrou no concelho no Verão, revelou este sábado fonte centrista à agência Lusa.

O encontro dos dirigentes do CDS-PP arranca pelas 10h30 de quarta-feira e, no final, haverá declarações à imprensa, precisou a mesma fonte.

A Comissão Técnica Independente nomeada para analisar os incêndios rurais de Junho na região Centro, em particular o fogo que deflagrou em Pedrógão Grande, entregou, na quinta-feira, no parlamento, o seu relatório final.

O documento, que analisa incêndios em 11 concelhos dos distritos de Leiria, Coimbra e Castelo Branco ocorridos entre 17 e 24 de Junho, refere que, apesar de o fogo de Pedrógão ter tido origem em descargas eléctricas na rede de distribuição, um alerta precoce poderia ter evitado a maioria das 64 mortes registadas.

Além disso, acrescenta, "não foram mobilizados totalmente os meios disponíveis" no combate inicial e houve falhas no comando dos bombeiros.

A GNR fica, por outro lado, ilibada de direccionar carros para a Estrada Nacional 236-1, onde ocorreram cerca de metade das mortes.

O documento aponta falta de conhecimento técnico no sistema de defesa florestal e falta de preparação dos actuais sistemas de combate às chamas para as alterações climáticas, confirmando, por outro lado, falhas de comunicação do Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP).

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou, na sequência da divulgação do relatório, que o Governo assumirá todas as responsabilidades políticas, se for caso disso.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Esperemos
    15 out, 2017 lis 12:46
    que tirem as devidas responsabilidades pelos cortes cegos que para lá da irrevogabilidade das linhas vermelhas, fizeram nos serviços públicos durante 5 anos em que estiveram no poder, empobrecendo o país e as instituições! E o que fizeram para o adequado ordenamento preventivo das florestas? Foi a legislação para o aumento da plantação de eucaliptos, da autoria da ex ministra Cristas? A hipocrisia continua a imperar nestes CDSs!