Tempo
|
A+ / A-

Iémen. Bombardeamento faz 12 mortos

07 out, 2017 - 18:17

A informação está a ser avançada por uma televisão ligada aos rebeldes.

A+ / A-

Pelo menos 12 civis foram mortos e dois feridos num bombardeamento da aviação da coligação árabe liderada pela Arábia Saudita no oeste do Iémen, informou a televisão Al Masira, controlada pelos rebeldes xiitas 'houthis'.

A mesma fonte especificou uma bomba atingiu um edifício situado na zona de Al Zahari, a norte do porto de Al Moja, costa do Mar Vermelho, provocando a morte de 12 pessoas, incluindo mulheres e crianças.

A cadeia televisiva acrescentou que prosseguia a busca de desaparecidos sob os escombros da habitação.

Esta zona tem sido o palco de combates entre os rebeldes 'houthis' e as forças governamentais, apoiadas pela coligação saudita e com apoio político dos Estados Unidos, que avançam em direção ao porto de Al Hudaida, controlado pelos 'houthis' no norte do país.

Na sexta-feira, a Arábia Saudita rejeitou a sua inclusão na "lista negra" da ONU devido à morte de crianças provocada pelos bombardeamentos da coligação que lidera no Iémen.

Na quarta-feira, esta coligação foi colocada numa lista negra da ONU pela morte e ferimentos graves em cerca de 700 crianças e ataques da escolas e hospitais em 2016.

A situação no Iémen registou um súbito agravamento em Março de 2015 na sequência da intervenção da coligação árabe liderada pela Arábia Saudita, em apoio ao Presidente Abd Rabbo Mansour Hadi e com o objetivo de contrariar o avanço dos combatentes 'houthis'.

Aliados do ex-Presidente Ali Abdallah Saleh, os 'houthis' assumiram o controlo de vastas regiões do país, incluindo a capital Sanaa.

A ONU tem sugerido sistematicamente uma trégua para permitir a distribuição de ajuda humanitária, mas as mediações da organização, e pelo menos sete declarações de cessar-fogo não tiveram sucesso até ao momento.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.