Tempo
|
A+ / A-

Mais de 80% de Portugal em seca severa

06 out, 2017 - 08:22

A quantidade de água armazenada em Setembro voltou a descer em todas as bacias hidrográficas de Portugal continental monitorizadas.

A+ / A-

Mais de 80% de Portugal continental encontrava-se em setembro em seca severa, segundo o Boletim Climatológico do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que caracterizou aquele mês como "extremamente quente".

De acordo com o boletim, disponível na página do IPMA na Internet, em Setembro registou-se um aumento da área em situação de seca severa e extrema. Segundo o IPMA, a 30 de Setembro cerca de 81% do território estava em seca severa, 7,4% em seca extrema, 10,7% em seca moderada e 0,8% em seca fraca.

No final de Agosto, 58,9% do território estava em seca severa e 0,7% em seca extrema. O IPMA classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre "chuva extrema" e "seca extrema".

No Boletim Climatológico, o IPMA refere que o "índice meteorológico de seca a seis meses (Abril a Setembro), escala que reflecte o défice de precipitação ao nível da seca meteorológica e agrícola, apresentava a 30 de Setembro grande parte das bacias do território na classe seca severa".

O IPMA justifica que a "conjugação de valores de precipitação muito inferiores ao normal e valores da temperatura muito acima do normal, em particular da máxima, teve como consequência a ocorrência de valores altos de evapotranspiração e valores significativos de défices de humidade do solo".

O período de Abril a Setembro, segundo o instituto, foi extremamente seco, com valores mensais da quantidade de precipitação sempre inferiores ao valor médio, pelo que corresponde ao segundo mais seco depois de 2005. "De realçar que neste semestre o valor médio da temperatura máxima foi o mais alto desde 1931 e o valor médio da temperatura média o segundo mais alto (depois de 2005)", é referido.

De acordo com os dados mais recentes, a quantidade de água armazenada em Setembro voltou a descer em todas as bacias hidrográficas de Portugal continental monitorizadas.

No início da semana, o secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, admitiu no final da reunião da Comissão de Gestão de Albufeiras o risco iminente de escassez de água nos concelhos servidos pela Barragem de Fagilde, no distrito de Viseu, se continuar a não chover.

A seca já levou o Governo a decretar apoios excepcionais aos agricultores para captação de água, nomeadamente nos distritos alentejanos de Évora, Beja e Portalegre e nos concelhos de Alcácer do Sal, Grândola e Santiago do Cacém, banhados pelo Sado.
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • carlos matos
    06 out, 2017 beira 12:06
    o pais a secar e ninguem faz nada, so medidas avulsas. 70 por cento da agua usada nos domicilios em israel vem do mar, a australia esta a armazenar agua no subsolo, diz que e muito melhor que em barragens e nos que fazemos? -nada! e muito triste termos politicos sem visao.