|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

MP acusa 18 agentes da PSP de sequestro, tortura e racismo

11 jul, 2017 - 00:28

O caso aconteceu em Fevereiro de 2015 na esquadra de Alfragide, que serve o bairro da Cova da Moura.

A+ / A-

Veja também:


Um total de 18 agentes da PSP vão ser acusados de tortura e sequestro de seis jovens da Cova da Moura, no concelho da Amadora, avança a edição desta terça-feira do “Diário de Notícias” e já confirmada à Renascença por fonte da Procuradoria-Geral da República.

Injúria e ofensa à integridade física qualificada, agravados pelo ódio e discriminação racial, são outros crimes imputados pelo Ministério Público (MP) ao grupo de polícias, entre os quais está um chefe.

Alguns dos agentes também são suspeitos de falsificação de relatórios, de autos de notícia e de testemunho.

Uma subcomissária e uma agente são acusadas também pelos crimes de omissão de auxílio e denúncia.

De acordo com as conclusões do MP avançadas pelo “Diário de Notícias”, todos os agentes que estavam na esquadra de Alfragide estiveram, de uma forma ou outra, implicados.

O Ministério Público pretende levar os 18 agentes a julgamento e, por outro lado, mandou arquivar todos os processos dos polícias contra os jovens que tinham sido constituidos arguidos por tentativa de invasão da esquadra.

Mas, de acordo com a Judiciária, a investigação "demonstrou que tal narrativa não era verosímil".

A fase de investigação demorou e esteve a cargo da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária, numa acusação sem precedentes em Portugal.

O caso remonta a Fevereiro de 2015 e aconteceu na esquadra de Alfragide, que serve o bairro da Cova da Moura, de maioria cabo-verdiana, na sequência da detenção arbitrária de um jovem após o apedrejamento de um carro da polícia.

[notícia actualizada às 11h30]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • P/Rr
    11 jul, 2017 fascistas!!!! 17:30
    3 comentários que fiz nem um foi publicado PELA RADIO CENSURA. É impressionante haver uma noticia que diz que o carro da policia é apedrejado e se é censurado quando se fala que se apedrejam o carro da policia, também poderão apedrejar os policias e que agora só falta os pretos da cova da moura serem os policias e os policias os criminosos, que poderão ir comer aos restaurantes e ir agredir os donos, é isto motivo de censura? Tenham vergonha noj----
  • Frank
    11 jul, 2017 Idanha 13:27
    Respeito (muito) a profissão de Polícia, há zonas complicadas, mas não pode haver complacência com estes casos. Ontem foram jovens da Cova da Moura, amanhã podem ser vocês.
  • P/RR
    11 jul, 2017 dequalquerparte 12:39
    Então o meu comentário,foi para o caixote de lixo? Será que não tenho o direito a dar a minha opinião e a criticar pretos criminosos? Vocês são a vergonha da democracia RR!
  • 11 jul, 2017 palmela 12:23
    Aqui os agentes da gnr sao todos simpaticos! Provavelmente escolheram a dedo os agentes da psp maos para entrar nos sitios problematicos!
  • Mário Guimarães
    11 jul, 2017 Lisboa 11:37
    Basta ver a comissão de recepção de Zé Du quando voltou a primeira vez de Barcelona. Aí ,sim! Vemos o que é racismo. Os polícias devem sair de lá porque estão cansados de aturar gente problemática e o MP e os "pulíticos" piolhosos devem ir lá para uma Esquadra .São os mesmos "pulíticos" que defendem a entrada de falsos refugiados . Depois dão à polícia para resolverem ,obrigando a entrarem com medidas especiais nestes antros de bandidagem . Nos Açores o Império da droga já manda em tudo e apenas apanham os passadores de esquina.Um País de bandalheira ! Em Inglaterra passou-se recentemente o mesmo problema só que a polícia não era portuguesa e a coisa correu mal .Aí quando é conveniente depois invocam a cidadania portuguesa .Não tem a ver com racismo .Tem a ver com bandalheira e vigarice!
  • Manuel
    11 jul, 2017 Lisboa 11:28
    Sou a favor de empregar a força para impor a ordem se isto é ser racista então sou racista com muito gosto. Sr. Presidente esta na altura de impor disciplina aqueles meras do MP.
  • JC
    11 jul, 2017 charneca da caparica 11:28
    Fazia bem ao Paulo Baldais vir viver com a sua família para os arredores da Cova da Moura, garanto que o seu editorial era bem diferente. Não se pode sair à noite, juntam-se em bandos e destroem e roubam tudo por onde passam, mal de nós se a polícia por vezes não se excedesse, sim porque de vez em quanto só o excesso os acalma. Srºs. jornalistas o problema da Cova da Moura nada tem a ver com racismo mas sim com delinquência. Todo o ser humano tem um pouco de racista independentemente da cor da pele . Tenham tino e não enxovalhem a polícia que felizmente ainda é quem nos vai salvando desta selvajaria branca ou negra que vive à custa dos meus impostos !!!!
  • Dias
    11 jul, 2017 Mafra 11:17
    Esta acusação é sobretudo uma vitória da " geringonça " .
  • Tugatento
    11 jul, 2017 Amarante 10:53
    Tretas, de quem nao gosta de viver dentro da lei. Ali, vive-se, salvo raríssimas excepcoes, do roubo e trafico de droga. Gostava de saber porque é que ainda nao foi demolido esse antro de bandidagem.
  • leonor
    11 jul, 2017 São domingos de rana 10:52
    Gostava de ver era como os negros são tratados pela policia dos países deles, se eles acham que são melhor tratados porque não se mudam? se têm melhores condições de vida .....de que estão à espera?