|
A+ / A-

Bispos reúnem-se em Fátima para Jornadas Pastorais

19 jun, 2017 - 11:44 • Paula Costa Dias

durante os trabalhos, vão tomar posse os novos presidentes de cinco das setes comissões episcopais.

A+ / A-

As Jornadas Pastorais do Episcopado Português, que começam na tarde desta segunda-feira, em Fátima, ficarão marcadas pela tomada de posse dos presidentes de cinco das setes comissões episcopais.

D. António Moiteiro, bispo de Aveiro, vai assumir a presidência da comissão da Educação Cristã e Doutrina da Fé, D. António Francisco dos Santos, bispo do Porto, passa a tutelar a comissão episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana, D. Joaquim Mendes, bispo auxiliar de Lisboa, assume a presidência da comissão do Laicado e Família, D. António Augusto Azevedo,auxiliar do Porto, passa a liderar o sector das Vocações e Ministérios, e D. João Lavrador, bispo de Angra, passa a ser o novo presidente da comissão da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais da Igreja.

As mudanças foram aprovadas na última assembleia plenária da Conferência Episcopal Portuguesa, realizada em Abril passado e que vigoram no triénio 2017-2020.

Além da tomada de posse, marcada para quarta-feira, as jornadas proporcionarão aos bispos portugueses uma reflexão sobre a família, ainda na sequência da exortação apostólica “A Alegria do Amor”.

Para orientar a reflexão, foram convidados o arcebispo de Madrid, cardeal Osoro Sierra, e o padre jesuíta argentino Humberto Miguel Yanhez Molina, professor e director do departamento de Teologia Moral da Pontifícia Universidade Gregoriana em Roma e amigo pessoal do Papa Francisco.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.