Edição da Noite
A actualidade ao fim do dia. Segunda a sexta às 23h
A+ / A-
Arquivo
Edição da Noite - E se todos recebessem rendimento básico incondicional? - 09/06/2017
Edição da Noite - E se todos recebessem rendimento básico incondicional? - 09/06/2017

Edição da Noite

E se todos recebessem rendimento básico incondicional?

10 jun, 2017


Na Edição da Noite desta sexta-feira destaque para o início das comemorações do 10 de Junho no Porto, para uma reportagem sobre o rendimento básico incondicional e para mais um Ensaio Geral.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Alexander
    10 jun, 2017 Petrolissibona 08:56
    A resposta é simples. Se todos recebêssemos o rendimento básico quem governava este país seria o partido comunista e o bloco de esquerda. O sonho de Catarina Martins e Jerónimo de Sousa é que todos recebam o rendimento mínimo. E quando digo todos é mesmo todos; o professor, o médico, o serralheiro, o motorista, o engenheiro, o cientista, o advogado... Ops, o advogado... esse não! O advogado não existe! Porque num país comunista não são necessários advogados. As leis são sempre cumpridas e não há injustiças. Os cidadãos são o Corpo do Estado. Mesmo quando algum é sacrificado é sempre por um bem maior. VIVA O COMUNISMO E O RENDIMENTO MÍNIMO!