|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

​"Em Portugal nunca vai haver uma bolha imobiliária"

18 mai, 2017 - 14:03 • Sara Beatriz Monteiro

Subida dos preços além do “razoável” está limitada a “algumas cidades do país”, diz o presidente da associação que representa as empresas imobiliárias.

A+ / A-

Dados da Comissão Europeia indicam que o valor médio do imobiliário em Portugal subiu 7,6% em 2016 e os preços das casas recuperaram os valores pré-crise. Bruxelas vai fazer recomendações ao país nos próximos dias, uma vez que os preços se aproximam do limite definido no mecanismo europeu de avaliação dos desequilíbrios macroeconómicos. No entanto, o presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP) afasta o cenário da criação de uma bolha imobiliária.

"Em Portugal nunca vai haver uma bolha imobiliária. O que está a acontecer é que em algumas cidades do país, nomeadamente Lisboa e Porto, e numa parte do Algarve, há zonas específicas onde os preços, para mim, estão acima daquilo que é o valor razoável", diz Luís Lima.

O presidente da APEMIP lembra que já em 2008 se falava no risco da criação dessa bolha, mas que, tal como alertou na altura, não se deve olhar para o sector imobiliário como sendo igual em todo o país.

"Não é por zonas específicas que vai haver uma bolha imobiliária. Os preços estão muito caros nessas zonas, mas noutras há outros preços. Temos que nos lembrar o que já aconteceu em 2008: falava-se muito que iria haver uma bolha imobiliária e já na altura demonstrei que não podemos olhar para o imobiliário como sendo igual em todo o país", explica.

Falta dinamizar arrendamento

O aumento do valor médio do imobiliário torna mais difícil a tarefa de quem quer comprar casa. O arrendamento não é uma alternativa competitiva, para Luís Lima, que defende que este mercado não está dinamizado.

"Andámos todos a discutir muito a questão da liberalização das rendas em vez de irmos àquilo que estava no preâmbulo da lei, que era a dinamização do mercado de arrendamento. Não fomos ao mais importante: criar confiança nos proprietários através da criação de um seguro de renda e a parte fiscal. Enquanto quem investe no mercado de arrendamento não for tributado pelo seu rendimento, pelo seu negócio, nunca vamos ter um verdadeiro mercado de arrendamento", reitera.

De acordo com o presidente da APEMIP, a falta de dinamização do mercado de arrendamento leva a que os proprietários invistam no alojamento local, mais rentável. Só o Estado pode, através das autarquias, atenuar a situação, defende.

"Os proprietários apoiam-se no alojamento local porque investem onde há mais rentabilidade. No arrendamento é completamente impossível investir com a carga fiscal que temos hoje em dia. É impossível actuar no mercado. Só o Estado é que pode através das autarquias atenuar esta dificuldade, senão a única hipótese dos jovens é comprar casa e isso não é para todos."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • CARLOS PEREIRA
    21 nov, 2017 Vila verde 14:12
    Bolha imobiliária em Portugal? Lol Só uma dica, procurem em Bragança, Viana do Castelo, Maia, Guarda, Portalegre, Covilhã, Pinhel, Montijo, Idanha, Mora, Cuba, Montalegre, Boticas, Vila Flor, Sertã, Pombal, Corvo, etc... Em 300 dos 308 municípios portugueses os preços estão dentro do espectável ou a baixo..
  • Mark
    18 mai, 2017 18:55
    muito dificilmente vai exisitr uma bolha em territorio nacional, pode acontecer em algumas zonas como lisboa, porto e algarve (o que devera acontecer no proximo ano uma vez que os valores estao a ultrapassar o limite do razoavel) o problema que esta a acontecer e aconteceu um pouco entre 2004 e 2008, sao empressas estrangeiras a promover edificio ca com valores exorbitantes, no geral e na maior parte da construção ca esta em valores de mercado justos tendo em conta os custos de construção e a qualidade (nao confundir com muita construção feita a alguns anos) o problema e que os rendimentos (ordenados) sao baixos e nao permitem que que grande parte da população tenha acesso a habitação volto a repetir a bolha que ira inicarse no proximo anoe sta a ser criada por empressas estrangeiras e nao nacionais que estao bem integradas, no passado apenas existiu uma pequena bolha no algarve e foi tambem criada por empressas estrangeiras a levare comisoes que chegavam aos 17% do valor de venda, os presos em lisboa nessa altura chegaram ao limite , nao chegou a existir uma bolha no inicio dos anos 90 as margens de lucro na construções eram de 100%, no inicio de 2000 eram na ordem dos 60%/ 80% em 2008 estavam nos 30@% em 2012 estavam nos 20% em lisboa actualmente estam nos 150% no algarve estao nos cerca de 80%/100% no resto do pais estao entre os 20% e os 60% qualquer comercio (meso a tasca ou cafe de esquina) tem margens de lucro entre os 80% e os 100% para ser viavel
  • Filipe
    18 mai, 2017 Lisboa 18:01
    Uma análise isenta de um analista independente é sempre uma grande mais-valia! É assim como as petrolíferas dizerem que a emissão de CO2 não causa alterações climáticas..
  • REGRESSO A 2011?
    18 mai, 2017 Lx 17:36
    Isto do imobiliário faz lembrar 2011...crédito com fartura para tudo e mais alguma coisa, casas que aumentaram de preço mais de 20 por centos num ano...Se não é uma bolha o que é? Será que não aprendemos nada com 2011 que nos levou ao resgate com o "menino de oiro" do PS, esse pantomineiro chamado Pinto de Sousa, o Pinócrates de má memória...
  • CAPELA
    18 mai, 2017 FEIRA 16:10
    Além da bolha os proprietários ainda tem o problema da carga fiscal sobre o imóvel, nalguns casos a propriedade é um encargo anual superior à valorização do imóvel (se indexada à inflação).
  • AM
    18 mai, 2017 16:08
    Qualquer pessoa que diga que nao houve (e nem havera) bolha imobiliaria em Portugal, deveria no minimo ser preso.
  • Dias
    18 mai, 2017 Lx 15:56
    Este senhor deve ter estado de férias, isto que se está a passar no imobiliário se não é uma bolha o que é.
  • joa
    18 mai, 2017 Lisboa 14:41
    Não vai haver "bolha" só se for na cabeça dele! Toda a gente vê, até um miudo de 10 anos que os preços das casas em portugal estão extremamente especulados pelas máfias à volta da imobiliário, muitas nem metade do preço valem, caso da zona de Lisboa! É um tremendo erro compar casa em portugal, seja para morar ou muito pior para investir, porque quem vai comprar vai alimentar os "abutres" do imobiliário, pagar muito acima do que valem-perder dinheiro, porque há um grande excedente de casas em portugal, cada vez menos pessoas. Claro que os fulanos das imobiliárias, muitas que deviam ser postas na ordem, vêm com essa propaganda enganosa, que o "preço das casas está a subir"... "vá já a correr comprar uma antes que acabem...etc"! Parece que ainda não aprenderam com a bolha imobiliária anterior! E está a aproximar-se mais uma! É uma aberração ver apartamentos em Lisboa que nem 60 mil euros valem a 300 mil!!!! Só um grande idiota é que compra enganos desses!