Tempo
|
A+ / A-

Novas detenções relacionadas com ataque ao “Charlie Hebdo”

26 abr, 2017 - 10:13

São suspeitos de terem fornecido armas aos terroristas que atacaram o jornal satírico e um supermercado judeu em Janeiro de 2015.

A+ / A-

Dez pessoas foram detidas desde segunda-feira em França e na Bélgica por suspeita de terem fornecido armas aos terroristas que atacaram o jornal “Charlie Hebdo” e um supermercado judeu em Janeiro de 2015 em Paris.

A procuradoria de Paris informou que as detenções começaram na segunda-feira e prosseguiram na terça-feira e hoje de manhã.

Os detidos são suspeitos de envolvimento no fornecimento de armas a Amedy Coulibaly, que matou quatro pessoas num sequestro no supermercado Hypercacher, no leste de Paris, e uma agente da polícia num outro incidente antes de morrer num tiroteio com a polícia.

Coulibaly era cúmplice dos irmãos Cherif e Said Kouachi, que mataram a tiro 12 pessoas na redacção e acabaram também mortos num tiroteio.

O jornal satírico francês distribuiu um total de 4,1 milhões de euros pelos familiares das vítimas dos atentados de Janeiro de 2015, que fizeram 17 mortos.

O dinheiro resultou de doações feitas por dezenas de milhares de anónimos de mais de 80 países, logo após os ataques.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.