Tempo
|
A+ / A-

Síria. Quase três mil pessoas morreram só durante mês de Março

01 abr, 2017 - 16:15

Os dados são do Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

A+ / A-

A guerra na Síria causou pelo menos 2.826 mortos durante o mês de Março, um número semelhante ao de Fevereiro, em que foram registadas 2.854 mortes, informa o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

A organização não-governamental (ONG) especificou que entre as vítimas mortais havia pelo menos 858 civis, dos quais 141 eram menores de idade e 131 eram mulheres.

Desses civis, 288 foram mortos pelos bombardeamentos da aviação governamental síria e russa, 76 por disparos de projécteis das forças do regime e sete devido a torturas nas prisões do Presidente sírio, Bashar al Assad.

Outras 31 pessoas foram mortas pelo impacto de projécteis de facções rebeldes e islâmicas, e sete pelo grupo Estado Islâmico (EI), enquanto cerca de 15 foram assassinadas pelo EI e cinco por facções islâmicas.

Além disso, 14 civis perderam a vida por causa de bombardeamentos turcos e disparos da guarda fronteiriça turca, assim como outros 281 foram vitimados por bombardeamentos da coligação internacional, liderada pelos EUA, e quatro pelas Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança armada liderada por milícias curdas.

Nesta contagem, outros 57 cidadãos morreram em atentados com carros bomba e perpetrados por bombistas suicidas, que transportavam cintos de explosivos.

Na repartição desta conta, a ONG atribui ainda oito mortes à falta de medicamentos no país e 46 à explosão de minas. Os 19 restantes morreram por motivos que o Observatório desconhece.

A estas vítimas somam-se 43 cidadãos oriundos do Iraque e xiitas, que morreram em duas explosões no centro de Damasco, reivindicadas pelo EI.

Do lado do regime, morreram 304 membros das forças regulares, 407 integrantes de milícias pró-governamentais sírias, cinco combatentes do grupo xiita libanês Hezbollah e 21 guerrilheiros xiitas de outras nacionalidades.

Por outro lado, cerca de 426 elementos das diferentes facções rebeldes, entre elas as FSD, também morreram.

Para finalizar o balanço, a ONG destacou que 762 membros de grupos radicais, entre eles o EI e a Organização Libertação do Levante (aliança formada em torno da ex-filial síria da Al-Qaeda) perderam a vida.

A Síria é desde há quase seis anos cenário de um conflito de já causou mais de 260 mil mortos, segundo o Observatório.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Mário Guimarães
    04 abr, 2017 Lisboa 13:26
    Só têm que agradecer aos amaricães e aos sovietes ! Os que pagaram "turras" contra nós . Os primeiros agora até nos vendem Macd e Pizzas com Coca-cola . Os portugueses andam a "drumir" com as pastorinhas e assistir à Máfia do Fitubol!Agora parece que temos um peditório no Aeroporto do General Coca-Cola como era conhecido por os amaricães pagarem as manifestações contra Salazar . O peditório não é para os portugueses mas sim para a Birmânia onde os Américas também se andam a infiltrar à muito . Uma tristeza que vai por aqui e os portugueses sempre a "drumir" e a serem enganados !
  • Bruno Gomes
    01 abr, 2017 Porto 20:14
    O OSDH não passa de um fulano que reside perto de Londres. ONG?! LOL!

Destaques V+