|
A+ / A-

Atentado em Londres. Atacante chama-se Khalid Masood e nasceu no Reino Unido

23 mar, 2017 - 15:45

Masood tinha 52 anos, nasceu no Reino Unido e embora fosse conhecido das autoridades, não era considerado uma ameaça do ponto de vista de terrorismo.

A+ / A-
O filme do ataque ao "coração" da capital inglesa
O filme do ataque ao "coração" da capital inglesa

Veja também:


O homem que na quarta-feira matou três pessoas num ataque terrorista em Westminster, Londres, foi formalmente identificado pelas autoridades.

O terrorista chama-se Khalid Masood, embora fosse também conhecido por uma série de pseudónimos, e tinha 52 anos e já tinha antecedentes criminais. Nascido em Kent, viveu os últimos anos nas West Midlands e já tinha sido condenado por posse de armas, roubo e agressão mas nunca por suspeita de terrorismo.

As autoridades britânicas já tinham dito que Masood era conhecido da polícia, mas que não era considerado uma ameaça imediata do ponto de vista do terrorismo.

O grupo terrorista Estado Islâmico emitiu uma nota esta quinta-feira a dizer que o autor do atentado era um dos seus "soldados", mas não se sabe mais sobre o eventual envolvimento do grupo na preparação do atentado.

[Notícia actualizada às 16h30]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António Costa
    23 mar, 2017 Cacém 19:23
    Toda a gente já percebeu, que é um inglês de gema. Mas como estão em vias de proibir, os cidadãos da UE, como os polacos de entrar no Reino "Unido", os problemas relacionados com o "terrorismo" resolver-se-ão por si. O Trump, nos EUA também ao proibir a entrada de mexicanos também está no "bom caminho". Assim, sem a "concorrência" dos "infiéis" mexicanos, vamos ter também, muitos "Khalid Masood", americanos de gema.