|
A+ / A-

Michael Rezendes: ​"Jornalismo de investigação vai sobreviver"

12 jan, 2017 - 23:15

Jornalista lusodescendente que ganhou um prémio Pulitzer falava na abertura do Congresso dos Jornalistas, em Lisboa.

A+ / A-

O jornalismo de investigação "vai sobreviver", afirma o jornalista norte-americano Michael Rezendes, que ganhou um prémio Pulitzer de Serviço Público pelo trabalho de investigação no "The Boston Globe".

Michael Rezendes, conhecido pela sua investigação sobre os crimes de pedofilia praticados por padres na diocese de Boston, falava no 4.º Congresso dos Jornalistas, que arrancou esta quinta-feira no cinema São Jorge, em Lisboa, sob o mote "Afirmar o Jornalismo".

"Há um apetite forte" para notícias de investigação, defende o lusodescendene.

Há estudos que apontam que os leitores querem notícias curtas, mas também histórias mais aprofundadas, acrescentou Michael Rezendes, cuja história da sua investigação foi retratada no filme 'Spotlight'.

Para fazer jornalismo de investigação "é preciso sair da redacção e falar com pessoas", diz, acrescentando que o jornalismo 'old fashion' [tradicional] "é muito, muito importante".

Na sua apresentação inicial, Michael Rezendes começou por dizer que nunca tinha seguido a política em Portugal "como deveria", mas confessou sentir admiração pelo antigo Presidente da República Mário Soares, falecido no sábado, aos 92 anos, pelo seu papel na democracia do país.

"O jornalismo é essencial para a democracia", salientou.

Relativamente às características que um jornalista deve ter para fazer investigação, Michael Rezendes afirmou que é necessário "ser bom ouvinte".

O profissional "tem saber o que as pessoas querem dizer, estar lá porque sinceramente quer saber" e "ter curiosidade natural", que classificou de "muito importante".

Sobre como é que os media vão lidar com o novo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Rezendes disse que "ainda é cedo" para saber, mas que "será um grande desafio" cobrir o seu mandato.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Roberto Moreno
    14 out, 2017 Lisboa, Portugal. 09:26
    Cá está o comentário de Roberto Moreno, inserido hoje na Renascença e censurado. - Concordo plenamente que o Jornalismo de investigação vai sobreviver e, neste âmbito - pergunto: Há algum Jornalista, com coragem e profissionalismo, para pegar no Caso “Hotel Sheraton
  • Roberto Moreno
    13 jan, 2017 Lisboa, Portugal. 15:44
    Concordo plenamente e, neste âmbito - pergunto: Há algum Jornalista, com coragem e profissionalismo, para pegar no Caso “Hotel Sheraton
  • Roberto Moreno
    13 jan, 2017 Lisboa, Portugal. 14:25
    Concordo plenamente e, neste âmbito - pergunto: Há algum Jornalista, com coragem e profissionalismo, para pegar no Caso “Hotel Sheraton