Tempo
|
A+ / A-

Costa no “Times of India”. O filho do Oriente que cresceu no Ocidente

11 jan, 2017 - 06:48 • Susana Madureira Martins , a acompanhar a visita do primeiro-ministro à Índia

Jornal coloca na primeira página o título "o regresso de babush [menino] à terra do pai".

A+ / A-

O primeiro-ministro português é notícia no “Times of India” no dia em que começa a visita de dois dias a Goa. Não é manchete, mas são três páginas dedicadas à deslocação de António Costa a Goa, num dos jornais locais.

A visita começa esta quarta-feira e prolonga-se amanhã, sendo o último destino da viagem.

O “Times of India” destaca a ida de Costa à casa de família em Margão, recordando o nome por que é chamado em privado, "Babush", menino em dialecto local e a festa que a tia e a prima, que ainda residem nesta região, fizeram em 2015 quando Costa chegou a primeiro-ministro.

O jornal aborda as origens do pai do governante, Orlando, militante comunista, poeta e publicitário nascido em Moçambique e educado em Margão.

O artigo faz referência à curiosidade sobre essa chegada ao poder em 25 de Novembro, a mesma data em que Afonso de Albuquerque em 1510 desembarcou em Goa, concluindo que mais de quinhentos anos depois Costa tomou conta dos destinos em Portugal, concluindo o texto que este "se trata de um momento histórico".

Um texto acompanhado por várias fotografias da família de Costa sai no dia em que é lançado em Goa o livro de Orlando Costa, pai de António, "Sem flores nem coroas", em língua inglesa, uma cortesia do governo indiano.

Nas estradas entre o aeroporto e Pangim, a capital do Estado, estão afixados vários cartazes, onde se lê "Shri [Senhor] António Costa bem-vindo a Goa", tanto em português, como em inglês.

Esta quarta-feira o primeiro-ministro português visita à Sé Catedral de Goa onde será recebido pelo arcebispo Dom Filipe Neri Ferrão.

Esta visita de Estado à Índia termina esta quinta-feira com a inauguração do Centro de Língua Portuguesa de Goa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Jesué
    11 jan, 2017 Viseu 18:59
    Daqui por mais um tempito, vamos ter FAQUIRES e ENCANTADORES DE COBRAS a governar aqui o quintal, mas em COLIGAÇÃO COM CHINESES. -----------------------------------------------PARA ONDE VAMOS ?
  • Ana Albuquerque
    11 jan, 2017 Lisboa 15:01
    Hoje vi um Goes a falar claramente de Portugal e da sua Portugalidade e do que Portugal representa para ele.O costa embalou-nos com conversas do Pai,mas sobre a nossa presença naquelas paragens,NADA.As duvidas Sâo claras,costa nâo sente a Portugalidade, ele sente o que pose ganhar com o cartâo de cidadâo Português.Já anda há muito a ganhar por ter sido comunista e agora do PS .E agora ser 1 ministro sem o povo lhe ter dado o voto.Quem o lá pôs foi o PCP e o BLOCO, partidos que já nos quiseram pôr Como satélites da Russia ou dos maoistas da China e mais outros de ditaduras violentas.Por isso costa é um Português por interesse e nâo Como eu e muitos outros que defenderiamos a Pátria sem regatiar.E viu-se agora,nâo foi capaz de salientar o que Portugal fez naquelas paragens e honrar a memória de quem lá morreu por ser Português.
  • Muito bem!
    11 jan, 2017 lisboa 11:06
    Antonio Costa no seu lugar. Assim é que deve de ser cada um no seu lugar.
  • Eborense
    11 jan, 2017 Évora 10:56
    Sim, sim! A direita é que é a culpada de hoje pagarmos juros acima de 4%. A ruína da governação está à vista, mas o maior problema é a ruína do País e vamos pagar todos, como aliás já era de esperar.
  • Pedro
    11 jan, 2017 Lisboa 09:41
    Os portugueses estão saturados da azia da direita e dos seus seguidores mal dizentes que não desejam nada mais do que a ruina da governação de costa para verem os seus tachos repostos.

Destaques V+