Tempo
|
A+ / A-

Conferência Episcopal destaca acção em defesa da liberdade religiosa

10 jan, 2017 - 16:56

O padre Manuel Barbosa destaca o papel do ex-Presidente à frente da Comissão da Liberdade Religiosa.

A+ / A-

Veja também:


O conselho permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), reunido em Fátima, destacou o papel de Mário Soares na defesa da liberdade religiosa em Portugal.

Em declarações aos jornalistas, no final da reunião, o padre Manuel Barbosa, porta-voz da CEP, afirmou que os bispos portugueses reconheceram “a dedicação que Mário Soares teve como presidente da Comissão da Liberdade Religiosa, que foi uma comissão instituída para a defesa da liberdade de consciência, religião e de culto de todos os cidadãos”.

“Assumiu os princípios da liberdade, igualdade, cooperação, respeito e da tolerância entre todas as religiões reconhecidas no nosso país”, disse Manuel Barbosa, aludindo ao trabalho de Mário Soares na presidência daquela comissão, cargo que assumiu em 2007 e para o qual foi reconduzido em 2011.

“As religiões são instrumentos de paz, civilização e diálogo entre os povos”, acrescentou o porta-voz da CEP, citando o antigo Presidente da República e ex-primeiro ministro, que morreu sábado, aos 92 anos, em Lisboa.

O conselho permanente da Conferência Episcopal Portuguesa fez esta terça-feira uma “homenagem agradecida” a Mário Soares, por toda a sua vida e pela defesa da democracia em Portugal, estendendo essa homenagem igualmente ao médico Daniel Serrão, que morreu domingo, aos 88 anos.

Mário Soares morreu no sábado, aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa.

O Governo português decretou três dias de luto nacional, até quarta-feira.

O corpo do antigo Presidente da República esteve em câmara ardente no Mosteiro dos Jerónimos entre as 13h10 de segunda-feira e as 11h00 de terça.

O funeral decorreu esta tarde no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa, após passagem do cortejo fúnebre pelo Palácio de Belém, Assembleia da República, Fundação Mário Soares e sede do PS, no Largo do Rato.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+