Tempo
|
A+ / A-

​Quartel da Graça e Forte do Guincho na lista de monumentos a concessionar

27 dez, 2016 - 10:18

A recuperação dos imóveis será feita por privados, através de concessões, estimando-se um valor de cinco milhões por edifício.

A+ / A-

O Quartel da Graça, em Lisboa, ou o Forte do Guincho, em Cascais, estão entre os 20 edifícios que esta terça-feira serão dados a conhecer como fazendo parte da lista de 30 monumentos que integram o programa REVIVE. A notícia é avançada pelo “Diário de Notícias”.

Em Setembro já tinha sido apresentada uma lista provisória com 11 edifícios a concessionar onde estava o Forte de Peniche. Foi depois retirado devido à onda de críticas que gerou por ser uma antiga prisão de opositores ao regime do Estado Novo, tendo até gerado manifestações contra a possibilidade de concessão.

A lista completa dos 30 imóveis será divulgada na página do Turismo de Portugal dedicada a este programa.

O Estado vai integrar no programa mosteiros, fortes, antigos quartéis ou conventos que, sem utilização, têm sido condenados ao abandono e alguns estão em estado de ruína.

A recuperação dos edifícios será feita por privados, através de concessões, estimando-se um valor de cinco milhões por edifício, com um valor final de cerca de 150 milhões de euros. Os espaços abrirão portas como hotéis, restaurantes ou até museus.

Os períodos da cedência podem variar entre 30 e 50 anos, renováveis, mas o Estado poderá então decidir também que pretende recuperar a sua gestão.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Mário Guimarães
    28 dez, 2016 Lisboa 10:23
    Continua tudo à venda em Portugal !Agora chamam concessionar!