|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Síria

Conselho de Segurança da ONU decide por unanimidade enviar observadores para Alepo

19 dez, 2016 - 14:18

Com o apoio da Rússia, o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou a resolução francesa, marcando a primeira manifestação de unidade em meses entre as potências mundiais.

A+ / A-
Reencontros emotivos em Alepo antes de evacuação ser suspensa
Reencontros emotivos em Alepo antes de evacuação ser suspensa

O Conselho de Segurança das Nações Unidas decidiu esta segunda-feira, por unanimidade, enviar observadores para Alepo, na Síria. O objectivo é monitorizar a evacuação da zona leste de Alepo e a segurança dos civis que permanecem na cidade.

Os 15 membros do Conselho de Segurança aprovaram uma resolução escrita pela França que "pede a todas as partes para garantir a estes observadores acesso seguro, imediato e desimpedido".

Com o apoio da Rússia, o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou por unanimidade a resolução francesa, que marca a primeira manifestação de unidade em meses entre as potências mundiais em relação à crise na Síria.

A resolução pede que os operacionais enviados ao terreno sejam capazes de monitorizar as evacuações do leste de Alepo e a segurança dos civis que permanecem na cidade síria.

A resolução de 15 membros do conselho "exige que todas as partes forneçam a esses observadores acesso seguro, imediato e sem impedimentos".

O embaixador da Síria na ONU, Bashar Jaafari, denunciou a resolução, dizendo que se trata "apenas de mais uma parte da propaganda contínua contra a Síria e a sua luta contra os terroristas".

[Notícia actualizada às 14h43]

Rebeldes queimam autocarros que iam evacuar aldeias na Síria
Rebeldes queimam autocarros que iam evacuar aldeias na Síria
"Por favor tirem-nos de Alepo". Órfãos sírios enviam mensagem ao mundo
"Por favor tirem-nos de Alepo". Órfãos sírios enviam mensagem ao mundo
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Dias
    19 dez, 2016 Lx 19:38
    Foi preciso terem morrido meio milhão de pessoas para a ONU intervir com uma medida séria, para quando acabar com esta treta que se chama ONU e fazer outra organização credível. Afinal sou obrigado a dar razão ao Trump.
  • Pedro Viana
    19 dez, 2016 Lisboa 15:46
    Alepo é a capital do estado islâmico quando os russos começaram a bombardear alepo o Ocidente passou o nome para rebeldes, mas desenganem se ali não há rebeldes só há o estado islâmico.
  • tuga
    19 dez, 2016 lisboa 14:49
    Vão contar os cadáveres e a destruição que fizeram ao financiar e treinar bandidos, terroristas a que apelidam de "" rebeldes""???? Esta gente não tem vergonha na cara!!! .....pela defesa de interesses financeiros, petróleo e interesses geoestratégicos destruíram um país soberano e assassinaram milhões de seres humanos e agora vêm com esta conversa??? A ONU serve para isto??? Primeiro financiam-se terroristas, assassinam homens mulheres e crianças e depois vão enviar observadores?? para quê??? para ver a merda que fizeram??? hipócritas!!! assassinos!!!! tenham vergonha nesses focinhos, porcos de merda!!!! Nenhum deveria saír de lá com vida!!!!