A+ / A-

Jihadistas em França receberam ordens do Estado Islâmico para preparar atentado no dia 1 de Dezembro

25 nov, 2016 - 17:53

Os jihadistas detidos no fim-de-semana, em França, prestaram juramento ao Estado Islâmico e preparavam-se para morrer como mártires. O elemento detido em Marselha tinha residência em Portugal.
A+ / A-

Os cinco suspeitos de terrorismo detidos no fim-de-semana passado por suspeitas de terrorismo preparavam um atentado no dia 1 de Dezembro e receberam ordens do Estado Islâmico para comprar armas. A informação foi avançada esta sexta-feira pelo procurador de Paris, François Molins, que revelou que as instruções foram dadas por alguém relacionado com o Estado Islâmico.

“A 'equipa comando' de Estrasburgo e o homem preso em Marselha receberam ordens para adquirir armas. Estas ordens foram dadas por um comandante da região entre o Iraque e a Síria através de aplicações encriptadas, populares entre terroristas” fez saber o procurador numa conferência de imprensa esta manhã.

Por entre os elementos encontrados nas casas de Yacine B. e Hicham E. – o marroquino a viver em Portugal – estavam documentos que revelaram que os suspeitos prestaram juramento ao Estado Islâmico e que glorificavam a ideia de morrer como mártires.

As investigações revelaram ainda que “capturas de ecrã e procuras através do Google Maps revelaram a intenção de atacar em diversos locais. Estas pesquisas mostram que estes indivíduos tinham a intenção óbvia de procurar alvos para atacar em breve” revelou Molins.

A polícia francesa deteve sete homens - dois dos quais já libertados - e evitou um atentado no passado fim-de-semana. Um deles, Hicham E. residia em Portugal desde 2013 e carregava, ao ser detido em Marselha, 4.281 euros que a polícia acredita que serviriam para comprar armas.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.