|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Web Summit ou “Davos para geeks”. Cimeira junta investidores e empreendedores em Lisboa

07 nov, 2016 - 07:26

“As expectativas são muito altas e vai ser um encontro e uma festa fenomenal”, diz o ministro da Economia à Renascença. São esperadas mais de 50 mil pessoas de 167 países, entre empreendedores, start-ups e investidores de topo.

A+ / A-

Arranca esta segunda-feira, em Lisboa, a Web Summit, um encontro de empreendedores e investidores que deverá ter um impacto directo em Portugal na ordem dos 200 milhões de euros.

“São centenas de empresas para fornecer serviços para acomodar 50 mil pessoas mais de 160 países que estão em Portugal”, afirma o ministro da Economia, Caldeira Cabral, para quem, mais importante o que o impacto directo “é o de atracção de investimento”.

“Não será no próximo mês nem sequer no próximo ano, mas será nos próximos três anos, que vamos começar a ver mais investimento na aceleração de start-ups portuguesas”, defende na Renascença.

É a primeira vez que a chamada cimeira tecnológica – também conhecida como "Davos para Geeks" – se realiza em Lisboa e traz consigo vários eventos paralelos, que juntarão os mais institucionais e os mais informais em momentos de discussão, além de eventos de descontracção, como a Night Summit e os Pub Crawls e a Surf Summit, que também começa esta segunda-feira na Ericeira.

“Penso que as expectativas são muito altas e vai ser um encontro e uma festa fenomenal”, diz o ministro da Economia. “A Web Summit em Portugal vai ser um sucesso e só pode ser um sucesso”, acrescenta.

Entre os mais de 50 mil participantes estarão 7.787 portugueses, muitos também de sectores tradicionais como retalho, construção, escritórios de advogados e agricultura. Portugal, Reino Unido, Alemanha e Irlanda são os principais países representados.

Participam ainda mais de 20.000 empresas, mais de duas startups (150 delas nacionais de topo), 663 oradores, 1.500 investidores, sete mil presidentes executivos de empresas de tecnologia, desporto, moda, música e saúde, entre outras.

A fazer a cobertura do evento estarão cerca de dois jornalistas internacionais.

Bilhetes para jovens com desconto

O evento decorre até dia 10 no Meo Arena e na FIL, onde estão montados 15 palcos temáticos para as 21 cimeiras temáticas: código, dados, conteúdo, design, empresas, moda, tecnologia de saúde, marketing, dinheiro, música, sociedade e universidade start-up e máquina.

Estarão a ajudar a organização mais de 2.000 voluntários.

Mais de 6.000 jovens, entre os 16 e os 23 anos, compraram bilhetes a nove euros, 1% do valor habitual, no âmbito da iniciativa "Inspire Portugal", promovida pela organização da Web Summit e pelo Governo português.

Entre os oradores internacionais vão estar algumas figuras de relevo internacional como John Chambers, presidente Cisco Systems, Sean Rad, co-fundador e presidente executivo (CEO) da Tinder, Mike Schroepfer, CTO (responsável pela área de tecnologia) do Facebook, Werner Vogels, CTO Amazon.com, Roberto Azevêdo, director-geral da Organização Mundial do Comércio, Joseph Gordon Levitt, ator (protagonista do filme "Snowden") e fundador da HiREcord, - Theresia Gouw, fundadora Aspect Ventures, Andrew McAfee, líder académico do MIT, Tom Hulme, sócio Google Ventures, Ronaldinho, futebolista e investidor, Zoome, Garrett McNamara, surfou a maior onda do mundo na praia da Nazaré, em Portugal, Tinie Tempah, rapper britânico, compositor e produtor musical e Andreja Pejic, modelo australiana de etnia bósnia croata e bósnia sérvia que se assume como mulher transgénero.

A cimeira tecnológica nasceu em 2010 na Irlanda e vai manter-se em Lisboa até 2020, podendo prolongar-se por mais dois anos.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.