Tempo
|
A+ / A-

Jornalistas e políticos da oposição detidos na Turquia

05 nov, 2016 - 14:18

Entre os detidos elementos de um partido pró-curdo e director do principal jornal da oposição ao regime do Presidente Tayyip Erdogan.

A+ / A-

Nove jornalistas do “Cumhuriyet”, o principal jornal da oposição ao Governo da Turquia, foram detidos este sábado e estão sob custódia de um tribunal de Istambul.

Entre os detidos estão o director da publicação secular, um cartoonista famoso e um colonista crítico do executivo do Presidente Tayyip Erdogan.

São suspeitos de ligações a Fethullah Gulen, o clérigo que está exilado nos Estados Unidos e que é acusado por Erdogan de ser o mentor a tentativa falhada e golpe de Estado, ocorrida em Julho.

A polícia utilizou este sábado canhões de água e gás lacrimogéneo para dispersar uma manifestação, em Istambul.

De acordo com a agência Reuters, o objectivo das forças de segurança foi impedir que os manifestantes desfilassem até à sede do jornal “Cumhuriyet”.

A detenção dos jornalistas acontece no mesmo dia em que foram presos nove elementos do partido HDP, pró-curdo.

Na sexta-feira, já tinham sido detidos outros nove políticos, incluindo líderes do HDP.

Mais de 110 mil juízes, professores, polícias e funcionários públicos foram detidos na Turquia na sequência da purga ordenada por Erdogan, em resposta ao golpe de Estado falhado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.